Caso Lázaro: 'Ele tinha uma rede que o acobertava', diz secretário de Segurança de Goiás

·1 minuto de leitura

RIO — O secretário de Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, disse, Lázaro Barbosa Sousa, de 32 anos, tinha uma rede de pessoas que o acobertaram durante os 20 dias que passou fugindo da polícia na área rural dos municípios de Cocalzinho e Águas Lindas de Goiás. O criminoso foi morto nesta segunda-feira, após troca tiros com agentes. Segundo Rodney, Lázaro estava armado e atirou contra as equipes:

— Descarregou uma pistola, possivelmente 380, em cima dos policiais.

O secretário afirmou ainda que, ao ser colocado na ambulância, Lázaro estava vivo.

— Ele foi conduzido com vida mas chegou no hospital foi a óbito. Descarregou uma pistola, possivelmente 380 — disse.

Rodney informou que Lázaro não agia sozinho. De acordo com ele, o criminoso vinha recebendo apoio:

— Já tem uma linha também. Outra que ele atuava como segurança de algumas pessoas.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos