Caso Lázaro: restos de animais e ossos indicam fome do serial killer foragido há duas semanas

·1 minuto de leitura

Há 14 dias em fuga de uma força-tarefa policial, Lázaro Barbosa de Sousa, de 32 anos, tem recorrido aos animais da região de Cocalzinho de Goiás para se alimentar. Durante as buscas, que acontecem principalmente no distrito de Girassol, agentes de segurança encontraram restos de rãs desossadas, que teriam sido deixadas na mata pelo fugitivo. Segundo integrantes da equipe de buscas, o criminoso também teria furtado frangos de chácaras locais.

Os restos das rãs foram encontrados às margens de um córrego na mata local, próximos de pedras, de acordo com o portal Metrópoles. Junto com os ossos, estava um facão, que foi recolhido pelos agentes durante a ronda.

Além do anfíbio, integrantes da força-tarefa também informaram que Lázaro teria roubado frangos de duas chácaras em Girassol, invadidas por ele na última semana. A hipótese foi levantada depois que os proprietários perceberam a falta de algumas das aves, após a invasão do fugitivo.

Lázaro Barbosa é procurado há 14 dias por uma força-tarefa montada para prendê-lo. Condenado por um estupro ocorrido em 2021, ele fugiu da cadeia e é apontado como o autor de cinco mortes em Ceilândia, no Distrito Federal, e em Goiás.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos