Caso Madeleine: polícia alemã apura declaração de vidente sobre local onde corpo estaria enterrado

·2 minuto de leitura

Em meio a investigação sobre a morte de Madeleine McCann, desaparecida desde 2007, a polícia federal alemã pretende apurar declarações do vidente Michael Schneider, de 50 anos, que disse ter conhecimento de que o corpo da menina teria sido enterrado em um bosque próximo da Praia da Luz, em Portugal, onde a menina foi vista pela última vez. Em entrevista ao jornal britânico Sunday People, Schneider afirmou que repassou as informações para as autoridades e teve a confirmação de que elas serão "incorporadas de forma adequada ao trabalho".

Procurado pelo jornal, o promotor alemão Hans Christian Wolters, responsável pelo caso, confirmou que alegações de videntes já fizeram parte de investigações anteriores. Sem citar Schneider, disse que os agentes não ignoram a ajuda, mas são cautelosos.

— Vários videntes já responderam solicitações para nos ajudar no passado e outros ofereceram assistência. Em alguns casos, também recebemos pistas concretas. Não os ignoramos, mas somos cautelosos — afirmou.

Schneider já trabalhou como repórter em uma emissora de TV e é conhecido no país. Ele afirma já ter atuado nas buscas por outras pessoas desaparecidas e disse ter ficado satisfeito por ser levado a sério pelos investigadores.

— Estou feliz porque o BKA (A polícia federal alemã) parece me levar-me a sério. Muitas vezes, tenho a reputação de ser uma aberração ou de tentar extorquir dinheiro às pessoas e isso me magoa. Eu nunca aceito dinheiro. Não divulgo as minhas informações levianamente e sem me questionar constantemente. Tenho consciência da responsabilidade — ressaltou.

Desde junho do ano passado, o alemão Christian Brueckner foi apontado como principal suspeito do sequestro. Embora o corpo nunca tenha sido encontrado e Brueckner não tenha confessado o crime, o promotor Hans Christian Wolters afirmou em maio que existem "provas concretas" de que a menina foi morta no país onde desapareceu.

O advogado de Brueckner, Friedrich Fulscher, insiste que o cliente não tem relação com o caso Madeleine. Criminoso sexual com várias condenações, incluindo por abuso sexual de crianças, ele viveu no Algarve entre 1995 e 2007 e roubou hotéis e apartamentos de veraneio, além de comercializar drogas, segundo a polícia alemã.

A polícia britânica ainda trata o registro como um desaparecimento. Em entrevistas, os pais da vitima, Kate e Gerry McCann também têm esperança de que será possível encontrar a vítima.

Madeleine desapareceu de seu quarto no Hotel Ocean Club durante férias da família enquanto seus pais jantavam com amigos. O desaparecimento desencadeou uma busca internacional e levou a diversas pistas, que se revelaram falsas ao longo dos anos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos