Caso de Maurício Souza, do vôlei, ganha repercussão na imprensa internacional

·1 min de leitura

A polêmica envolvendo o jogador de vôlei Maurício Souza foi repercutido nos principais portais de notícia do país, e nesta quarta-feira chegou até a imprensa internacional. O jornal argentino "Ole", destacou o post de teor homofóbico do atleta do Minas Tênis Clube.

"O comentário homofóbico de um jogador da seleção de vôlei do Brasil", diz a manchete da publicação, que lembra os comentários sobre a bissexualidade do Superman e a repercussão entre patrocinadores e companheiros de equipe.

No último dia 12, Maurício Souza criticou a história em quadrinhos do novo Super-Homem, na qual há um beijo entre o personagem e outro homem.

"Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar...", escreveu o jogador. Ele ainda criticou a decisão da TV Globo de usar pronome neutro nas novelas, em respeito a pessoas que preferem não se identificar a um gênero específico.

Nesta terça-feira, 26, a montadora Fiat e a produtora de aço Gerdau compartilharam os respectivos posicionamentos, nos quais ambas pediram ao clube “medidas cabíveis”, tendo em vista que Maurício realizou um discurso de ódio.

Na resposta inicial do time, emitido nesta segunda-feira, 25, o Minas disse que a opinião do central não representa o time, mas não elucidou se ele iria receber qualquer tipo de punição. Mais tarde, a equipe decidiu afastar o atleta, que escreveu um pedido de desculpas em uma redes sociais com menos de 100 seguidores.

“O Minas Tênis Clube pondera que já conversou com o atleta e tem orientado internamente sobre o assunto”, informava a nota.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos