Caso Miguel: Polícia confirma que corpo de menino de 7 anos foi transportado em mala

·1 minuto de leitura

RIO — O delegado Antônio Carlos Ractz disse, nesta segunda-feira, que uma perícia confirmou que havia traços de DNA do menino Miguel na mala apreedida pela polícia durante a investigação sobre a morte da criança. O laudo foi disponubilizado na última sexta-feira.

— Segundo a conclusão, no interior da bolsa de viagem foi encontrado DNA da vítima. Ou seja, a vítima foi efetivamente transportada no interior da mala em questão.

Ractz afirmou que bolsa de viagem foi utilizada pela mãe e pela madrasta do menino, denunciadas pelo morte, para transportar o corpo da vítima até o Rio Tramandaí, que fica entre os municípios de Imbé e Tramandaí. Tal mala de viagem foi apreendida na lixeira de uma casa por policiais.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos