Caso Rafael: mãe é condenada pelo assassinato do filho de 11 anos

Entenda o crime cometido por Alexandra Dougokenski

Mãe de Rafael Winques foi condenada a 30 anos de prisão - Foto: Juliano Verardi/TJRS
Mãe de Rafael Winques foi condenada a 30 anos de prisão - Foto: Juliano Verardi/TJRS

A mãe do garoto Rafael Mateus Winques, Alexandra Salete Dougokenski foi condenada a 30 anos e dois meses de prisão na tarde da última quarta-feira (18), pelo assassinato do próprio filho de 11 anos em 2020, na cidade de Planalto, no Rio Grande do Sul.

A criminosa também foi condenada a mais seis meses de detenção, além de 30 dias-multa. A Justiça determinou que a pena seja cumprida em regime fechado.

Alexandra foi considerada culpada dos seguintes crimes:

  • Homicídio qualificado (motivo torpe, motivo fútil, asfixia, dissimulação e recurso que dificultou a defesa)

  • Ocultação de cadáver

  • Falsidade ideológica

  • Fraude processual

Advogado da mulher, Jean Severo informou que vai recorrer da sentença e pedir a anulação do júri.

Durante os três dias de júri, iniciado na última segunda-feira (16), foram ouvidos diversos familiares de Alexandra como testemunha. Entre eles:

  • O outro filho da mulher (irmão de Rafael)

  • O pai de Rafael

  • O irmão de Alexandra

  • A mãe da acusada

Ouvida, a suspeita voltou a responsabilizar o pai da vítima, Rodrigo Winques, pela morte da criança. Ela afirmou que foi ameaçada de morte pelo rapaz, caso contasse a verdade.

Linha do tempo do crime:

  • Rafael desapareceu em 15 de maio de 2020

  • Alexandra denunciou o sumiço e disse que o filho sumiu após ser colocado na cama para dormir

  • A mulher concedeu entrevistas pedindo ajuda para encontrar a criança

  • No dia 25 de maio, a polícia encontrou o corpo de Rafael enrolado em um lençol, em uma antiga casa da família

  • A mãe confessou o crime e disse ter dado medicamento ao filho, que considerava ser um menino nervoso

  • Segundo o depoimento, ao perceber que a criança não dormiu, a mulher a estrangulou

  • Alexandra foi presa em junho

  • Em dezembro, ela mudou a versão e disse que Rafael foi morto pelo pai, Rodrigo

Investigação reaberta

Diante da condenação de Alexandra, a Justiça de Farroupilha, também no Rio Grande do Sul, determinou que sejam realizadas novas investigações sobre a morte de seu ex-companheiro, José Dougokenski.

O homem foi encontrado morto em 2007, em caso tratado inicialmente como suicídio. A família, no entanto, suspeita que ele tenha sido assassinado.