Defesa de profissional responsável por armas do filme 'Rust' afirma que cena da tragédia foi adulterada para sabotá-la

·1 min de leitura

Hannah Gutierrez-Reed, armeira do filme “Rust”, tenta se defender no processo pelo incidente que matou Halyna Hutchins, diretora de fotografia, e deixou ferido Joel Souza, diretor do longa. Para isso, a defesa de Hannah alega que ela sofreu sabotagem e que as acusações contra ela são injustas. Segundo os advogados dela, a cena do crime foi adulterada antes de a polícia chegar com o intuito de incriminar Hannah.

A defesa da armeira já tinha apontado para uma possível sabotagem, mas não que ela teria Hannah como alvo. "Acreditamos que a cena foi adulterada bem antes da chegada da polícia", denunciaram os advogados momentos depois de o promotor público encarregado pelo caso descartar a possibilidade de sabotagem e ainda zombar da possibilidade.

Até o momento, acredita-se que o motivo do incidente foi o fato de que parte da equipe do set costumava praticar tiro ao alvo durante o almoço e uma bala foi deixada na arma que matou Halyna, por descuido. O projétil não teria sido detectado antes da tragédia porque não houve perícia prévia, segundo o que se supõe.

Segundo os advogados de Hannha, ela prestou depoimento para o vice-xerife do condado de Santa Fé na terça-feira e continua cooperando com as investigações. A defesa pede ainda que a polícia e o FBI investiguem os resultados dos testes de munição feitos com bonecos cenográficos.

"Estamos convencidos de que isso foi sabotagem e que Hannah está sendo injustamente incriminada", afirmou Jason Bowles, um dos defensores da armeira, ao TMZ.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos