Casos de Covid-19 aumentam na China e Pequim reforça regras de entrada

Proteção contra Covid-19 em Pequim

Por Liz Lee e Martin Quin Pollard

PEQUIM (Reuters) - A capital da China alertou nesta segunda-feira que está enfrentando seu teste mais severo da pandemia da Covid-19, fechando empresas e escolas em distritos atingidos e endurecendo as regras para entrar na cidade, à medida que as infecções aumentam em Pequim e nacionalmente.

A China está lutando contra vários surtos de Covid-19, de Zhengzhou, na província central de Henan, a Chongqing, no sudoeste. O país relatou 26.824 novos casos locais no domingo, aproximando-se do pico diário de infecção do país em abril.

Também foram registradas duas mortes em Pequim, ante uma no sábado, que foi a primeira na China desde o final de maio.

Guangzhou, uma cidade do sul de quase 19 milhões de pessoas que está lutando contra o maior dos recentes surtos da China, ordenou um lockdown de cinco dias para Baiyun, seu distrito mais populoso. Também suspendeu os serviços de jantar e fechou casas noturnas e teatros no principal distrito comercial da cidade.

A onda mais recente está testando a determinação da China de manter os ajustes que fez em sua política de Covid-zero, que pede que as cidades sejam mais direcionadas em suas medidas de restrição e evitem lockdowns e testes generalizados que estrangularam a economia e frustraram os moradores.

As autoridades da cidade disseram que as pessoas que chegam à capital vindas de outras partes da China precisam passar por três dias de testes de Covid-19 antes de poderem deixar suas casas ou acomodações.

Os esforços recentes da China para tornar suas restrições da Covid-19 mais direcionadas despertaram esperança dos investidores de uma flexibilização mais significativa, mesmo quando a China enfrenta seu primeiro inverno contra a variante Ômicron altamente transmissível.

Muitos analistas preveem que essa mudança comece apenas em março ou abril, no entanto, com o governo argumentando que a política de Covid-zero do presidente Xi Jinping salva vidas e é necessária para evitar que o sistema de saúde fique sobrecarregado.

(Reportagem de Xangai e redação de Pequim)