Casos de Covid-19 na Força Nacional chegam a 435, com uma morte

Renata Mariz
·1 minuto de leitura

BRASÍLIA — A Força Nacional de Segurança Pública, capitaneada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, registrou 435 policiais contaminados pela Covid-19 desde o início da pandemia. Uma morte foi notificada nesta semana. A vítima é o sargento Reinaldo Dias.

Os dados são do Ministério da Justiça e Segurança Pública. A Força Nacional é formada por policiais militares, civis, bombeiros militares e peritos dos estados e do Distrito Federal. O contingente empregado em operações é volátil e não costuma ser divulgado por questões de sigilo.

A Força Nacional é formada por agentes dos estados e DF capacitados para integrá-la, em situações de necessidade de garantia da ordem pública, risco à segurança das pessoas e do patrimônio, situações de emergência e calamidades públicas, operações relacionadas ao meio ambiente, em terras indígenas, entre outras situações.

Reinaldo Dias, que morreu vítima da Covid-19, era do estado de São Paulo, mas atuava em operação no Norte do país. A pasta confirmou a morte do integrante da Força Nacional, dizendo se tratar do único registro de óbito até o momento pela doença.

Grupos prioritários

Profissionais das forças de segurança e de salvamento são um dos 29 grupos que aparecem como prioritários no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 do Ministério da Saúde. Eles ocupam a colocação 21ª na ordem de prioridades.

Segundo documento do Ministério da Saúde, esses profissionais somam 584,2 mil pessoas. "Recomenda-se iniciar pelos trabalhadores mais expostos, ou seja, os que encontram-se na linha de frente das atividades de rua e segurança, e, posteriormente seguir com os servidores de cargos e funções administrativas", afirma a nota da pasta.