Mortes por Covid-19 nas Américas podem ser maiores que o relatado, diz Opas

·1 minuto de leitura
Pandemia de Covid-19

BRASÍLIA (Reuters) - Quase metade das mais de 3,4 milhões de mortes por Covid-19 registradas até agora no mundo ocorreram nas Américas, mas os números reais podem ser ainda maiores, alertou nesta quarta-feira a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas).

Na semana passada, a Organização Mundial da Saúde (OMS) disse que as mortes por Covid-19 estavam sendo significativamente subestimadas em todo o mundo.

"De acordo com novas projeções, muito mais pessoas estão morrendo por complicações da Covid ou pelos impactos indiretos da pandemia, como interrupções de serviços essenciais, que colocam sua saúde em risco", disse a diretora da Opas, Carissa Etienne.

Para 2020, foram registradas cerca de 1,8 milhão de mortes por Covid-19, mas o verdadeiro número global de óbitos por coronavírus em 2020 está agora estimado em cerca de 3 milhões de pessoas --quase o dobro dos números relatados no ano passado.

"É preocupante que metade dessas mortes tenha ocorrido aqui nas Américas, demonstrando o impacto dessa pandemia em nossa região", disse Etienne em coletiva semanal.

Os casos e mortes por Covid-19 atingiram um patamar alarmantemente alto na América Latina, com os países da região representando as cinco maiores taxas de mortalidade do mundo na semana passada, disse a chefe da Opas.

Chile, Peru e Paraguai registraram queda nas novas infecções, mas Uruguai, Argentina e Brasil estão novamente registrando um aumento nos casos, enquanto a Bolívia vem registrando um aumento drástico nas mortes, acrescentou.

Etienne também alertou que muitas pessoas na região não estão mais aderindo às medidas de saúde pública contra a Covid-19.

(Por Anthony Boadle)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos