Castro ainda negocia secretariado com partidos aliados

A 72 horas de tomar posse, o governador reeleito Cláudio Castro (PL) passou a manhã e a tarde de ontem em reuniões para fechar seu novo secretariado. Segundo fontes, uma das incógnitas é quem assumirá a Secretaria de Educação, que deve continuar com o PL, mas deixará de ser comandada pelo ex-deputado Alexandre Valle.

Mas aliados já apontam definições. Estaria confirmado que o ex-prefeito de Duque de Caxias Washington Reis (MDB) ficará com a “supersecretaria” de Transportes, após análise jurídica constatar que ele pode assumir o cargo, mesmo tendo sido condenado por crimes ambientais. E o PP terá como um dos principais representantes o deputado Doutor Luizinho, na pasta da Saúde, já dirigida por ele entre 2016 a 2018.

O PP deve ficar ainda com o Turismo, com um indicado do deputado estadual Gustavo Tutuca (PP), que deve ser o líder do governo na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O nome encaminhado é o de Marcelo Monfort, atual subsecretário de Grandes Eventos do governo.

Segunda maior bancada na Alerj, o União Brasil também tem nomes certos no governo: o do vice-governador Thiago Pampolha, que vai acumular o cargo com o de secretário do Ambiente e Sustentabilidade; e o do vereador Alexandre Isquierdo, que até ontem à tarde não tinha uma pasta definida.

Já para a Ciência e Tecnologia, houve quem apostasse no nome de Doutor Serginho (PL). Mas, no início da noite de ontem, a informação era que o PL e Castro tendiam a manter o atual secretário, João Carrilho. As negociações caminham ainda para a volta do deputado Rodrigo Bacellar (PL), atual secretário de Governo, para a Assembleia Legislativa, onde é franco favorito para assumir a presidência da Casa. O deputado Chico Machado (Solidariedade) é o mais cotado para comandar a Secretaria de Governo. Do mesmo partido de Machado, Danielle Barros continuará na pasta da Cultura.

Haverá uma reforma nas atuais 32 pastas: algumas devem ser extintas, como a de Assistência à Vítima; e outras criadas, como a da Mulher. A posse do secretariado foi marcada para 2 de janeiro.

Dos atuais secretários, seguem no cargo Nicola Miccione (Casa Civil), Rodrigo Abel (Chefia de Gabinete), Leonardo Lobo (Fazenda), Maria Rosa Nebel (Administração Penitenciária), coronel Leandro Monteiro (Defesa Civil), Fernando Albuquerque (Polícia Civil) e coronel Luiz Henrique Marinho Pires (Polícia Militar). Uruan Andrade deve assumir a pasta de Infraestrutura e Obras. E a tendência é manter Nelson Rocha no Planejamento.