Castro nomeia secretário, ex-deputado que concedeu a Medalha Tiradentes a Dr. Jairinho

·3 minuto de leitura

O governador do Rio, Cláudio Castro (PL), nomeou o empresário e ex-deputado estadual Antônio Pedregal Filho para ser o titular da nova Secretaria de de Envelhecimento Saudável. Para abrigar aliados, o governador também retomou a Secretaria dos Vitimados e, para o comando da pasta, indicou a tenente-coronel Priscila Azevedo. A nomeação teria agradado deputados bolsonaristas da Alerj.

Na última vez em que tentou se eleger a deputado federal pelo Avante, em 2018, Pedregal teve apenas 3.626 votos. Como parlamentar, em 2007, ele concedeu a maior honraria da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), a Medalha Tiradentes, ao vereador Dr. Jairinho— preso acusado por homicídio qualificado e tortura do menino Henry Borel, de 4 anos.

A Medalha Tiradentes é oferecida a pessoas que prestam bons serviços à população e ao país. No início deste mês, a Alerj revogou, por unanimidade, a honraria concedida a Dr. Jairinho. A proposta para a retirada da homenagem foi feita pelo deputado estadual Noel de Carvalho (PSDB).

— A aprovação da resolução não tem como objetivo condená-lo, isto é responsabilidade do Poder Judiciário. Mas, como parlamentar, acho que quem é suspeito de cometer crimes dessa gravidade com tantas provas, não pode permanecer com um título como a Medalha Tiradentes -- disse o parlamentar, na ocasião.

No momento, a coligação em torno de Castro, visando as eleições do ano que vem, congrega 14 partidos. Fontes do Governo garantem que a indicação de Pedregal ao cargo partiu do Avante, partido que deve apoiar o governador nas eleições do ano que vem.

Constituem a aliança os seguintes partidos: Republicanos, PL, PP, Solidariedade, DEM, MDB, PSL, PTB, DEM, PODEMOS, PSC, PROS, Avante e PMN.

A ideia é que Castro tenha o maior tempo de propaganda em rádio e televisão possível nas eleições do ano que vem.

Na edição extra do Diário Oficial, publicada ontem, Castro também oficializou o nome de Rodrigo Bacellar (Solidariedade) na Secretaria de Governo. Com a saída dele, assume o suplente, Jairo de Souza Santos, o Coronel Jairo, coincidentemente, pai de Dr. Jairinho. Ele já cumpriu quatro mandatos anteriores na Alerj e chegou a ser investigado pela CPI da Milícia, mas nada se provou contra ele.

Os três nomes oficializados ontem se juntam a Nelson Rocha, que comanda a Secretaria de Fazenda, e Alexandre Chieppe, que ocupa a pasta da Saúde.

Até o momento, Castro criou três novas secretarias para comportar aliados: Além do Envelhecimento Saudável e da pasta dos Vitimados, o Governo também passará a contar com a Secretaria do Desenvolvimento Local, Inovação, Produtividade e Desburocratização. O favorito para assumi-la é o deputado federal Vinicius Farah (MDB).

Castro terá que responder sobre o telefonema que recebeu de Dr Jairinho, poucas horas após a morte do menino Henry Borel. Nesta terça, o Conselho de Ética da Câmara Municipal decidiu, por unanimidade, pela notificação ao governador.

A notícia sobre a ligação foi publicada primeiramente pelo colunista Lauro Jardim, dias após o caso. No telefonema, Jairinho deu a Castro sua versão do ocorrido, a mesma que respondeu à polícia, ou seja, que ele e a mãe do menino o encontraram desacordado no quarto e o levaram a um hospital. Ainda na ligação, o governador teria respondido que caberia à Polícia Civil decidir sobre as investigações.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos