Castro pede a Bolsonaro que projeto de socorro aos estados deixe de fora reforma da previdência estadual

Paulo Cappelli
·1 minuto de leitura
Pedro Teixeira / Agência O Globo
Pedro Teixeira / Agência O Globo

RIO - O governador interino Cláudio Castro pediu nesta quarta-feira (18), em reunião com o presidente Jair Bolsonaro, que o Planalto não tente incluir medidas de austeridade no PLP 101, projeto de lei complementar que busca oferecer socorro financeiro aos estados e que deverá ser votado na Câmara dos Deputados ainda este ano. Segundo Castro, o ministro da Economia, Paulo Guedes, tem cogitado incluir, como contrapartida, medidas de austeridade, como a exigência de reformas da previdência estaduais.

- O ministro Guedes e a equipe econômica pleiteam botar a reforma da previdência no PLP 101. Acham que os estados têm que fazer o dever de casa. Mas os deputados resistem e, com isso, tem início uma briga política. Pedi ao presidente sensibilidade para que não haja essa celeuma e que o projeto seja votado o quanto antes. Compreendo o pleito do ministro Guedes, mas, fazer isso por meio do PLP 101, é retardar a aprovação de uma ajuda financeira que é urgente para os estados - disse Castro.

De acordo com o governador interino, a aprovação do PLP 101 é a pauta econômica mais importante do Rio de Janeiro, tendo em vista que as condições são mais vantajosas do que a possível renovação do Regime de Recuperação Fiscal do estado com a União, que foi aprovado em 2017 e poderá, no ano que vem, ser prorrogado até 2023.