Castro se aproxima de oficializar Washington Reis na chapa como vice

Tido como favorito para vice na chapa encabeçada por Cláudio Castro (PL) à reeleição, o ex-prefeito de Duque de Caxias Washington Reis (MDB), se aproxima de ser oficializado no posto e já fala como tal. A aproximação ganhou força nos últimos dias, após o União Brasil ter recusado convites de Castro para que o vereador Alexandre Isquierdo e o deputado estadual Thiago Pampolha ocupassem o posto, em troca da retirada da pré-candidatura de Anthony Garotinho. Como O GLOBO mostrou em abril, a escolha por Reis traria votos da Baixada e ele trabalharia como uma espécie de "fiador" do novo governo em municípios nos quais os atuais prefeitos tentam eleger seus sucessores. Caberia a ele se apresentar como um líder da região e prometer investimentos contínuos nos próximos quatro anos.

Vácuo na cúpula do MDB: Washington Reis vira novo cacique e ocupa espaços na política e em tribunais do Rio

Freixo confirma convite a Cesar Maia para vice: 'Gosto e confio muito nele'

Rio, SP e MG: Leia as entrevistas do GLOBO com os pré-candidatos ao governo

— O trabalho compensa. Isso (a iminência de ser escolhido por Castro) é sinônimo da minha aprovação na Baixada. Interlocutores já me ligaram, consultaram a minha vontade e vou conversar com o governador sobre a possibilidade. Eu queria concorrer ao Senado, mas hoje a vaga já está ocupada (por Romário, que tenta a reeleição). Acredito nessa parceria com Castro, e a Baixada precisa ser protagonista. Estou animado —diz Reis, como nome certo da coligação.

O ex-prefeito, no entanto, ainda precisa vencer alguns entraves jurídicos para se candidatar. Reis se tornou inelegível em 2016 após o Supremo Tribunal Federal (STF) condená-lo por crime ambiental e, atualmente, a validade de sua pré-candidatura está amparada em um pedido de vista do ministro Nunes Marques no processo que ainda tramita na Corte.

Em 2020, resguardado num pedido de embargo de declaração que deixou em suspenso sua condição de ficha-suja, ele conseguiu concorrer, se eleger à prefeitura de Duque de Caxias e tomar posse do cargo. Três meses depois, o STF rejeitou o recurso, tornando-o novamente inelegível, mas sem perda de mandato. Reis voltou a recorrer e, em setembro, o caso começou a ser julgado no Supremo até que foi suspenso pela decisão de Nunes Marques. Caberá ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) decidir se Reis estará ou não elegível.

Considerado um político com bom trânsito em todas as alas, Reis agrada ao filho mais velho do presidente Jair Bolsonaro, o senador Flávio Bolsonaro, que tem opinado sobre o vice ideal para a campanha de Castro. Em março, durante o aniversário do governador, o ex-prefeito de Caxias fez questão de posar ao lado de Castro e de Flávio. Recentemente, ele se encontrou com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que apoia a candidatura do deputado federal Marcelo Freixo (PSB). O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, também já disse que gostaria de contar com Reis.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos