Cat Dealers, duo de DJs cariocas bomba nas pistas e irmãos estão na lista de melhores do mundo

1 / 5

catdealers

Cat Dealers, duo de DJs cariocas bomba nas pistas e irmãos estão na lista de melhores do mundo

O que começou despretensiosamente com um remix da música “Oração” em 2016 se tornou gigante. Nem os irmãos Pedrão e Lugui tem a real dimensão do que três anos fizeram com suas vidas. O duo de DJs cariocas conhecido como Cat Dealers bomba nas pistas e já está na lista de melhores do mundo.

Os meninos, gatos de verdade por sinal, têm agenda lotada no verão e não será diferente nas outras estações. Eles acabam de lançar música com Flakke, outro nome cobiçado no cenário eletrônico, e trabalham num novo remix com Vanessa da Mata. Eles já fizeram o de “Ai,ai,ai”, e agora partem para o de “Boa sorte”.

Com a cantora se apresentaram inclusive no Rock in Rio, onde estiveram pela primeira vez. “Nós dois sempre fomos apaixonados por música, eu toco bateria desde os 11 anos e o Lugui é fascinado por música eletrônica desde pequeno. Gostamos muito de estudar e pesquisar sobre o assunto e por volta de 2013 estávamos viciados em eletrônica. Então, resolvemos tentar fazer algo nosso, produzir nossas próprias músicas, e não paramos desde então, conta Pedrão: “Nosso sonho era viver de música, passamos a nos dedicar para que isso se tornasse possível e hoje não poderíamos estar mais contentes com tudo que já conquistamos”.

Por conquistas entenda-se tocar nos maiores festivais do mundo e ter o reconhecimento de gente bem grande nessa área. Com Flakke foi uma segunda parceria. Algo inusitado que saiu após pedirem uma pizza. “No final do ano passado, ele veio passar um tempo com a gente para produzir no nosso estúdio. Uma noite resolvemos pedir uma pizza doce e foi aí que surgiu a ideia para ‘Sweet Munchies’, por conta da brincadeira com larica doce. Dessa vez, trabalhamos bastante presencialmente, mas em outras ocasiões realmente tudo tem que ser feito pelo virtual. Mas com as facilidades tecnológicas, a comunicação fica muito rápida e tranquila, nos damos muito bem quando temos que produzir com alguém que está em outro continente, como já aconteceu”, diz Lugui.

Ultimamente, os irmão pensam em trabalhar com os também irmãos Melim. Aliás, a “brotheragem” existe e não é de hoje. Mas, eles confessam que as vezes precisam de um detox um do outro. “Sempre fomos muito próximos e trabalhamos superbem juntos, mas claro que às vezes é preciso ter seu espaço. Estamos constantemente produzindo e viajando com nossas turnês, então de vez em quando gostamos de momento só nossos, com amigos ou namoradas”, contam.

Nessa correia louca entre um continente e outro, os Cat Dealers já sonham mais alto. Quem sabe adquirir o próprio jatinho? “Muitas vezes fazemos mais de um show por noite, então sem o jato, que é sempre alugado por sinal, não teríamos como chegar. É uma questão de logística”. Alugado ainda...