Catadora que colocou faixa em Lula teve casa derrubada em ocupação irregular e hoje estuda Direito

Escolhida para colocar a faixa no presidente Lula na posse presidencial do último domingo, 1, em Brasília, a catadora de materiais recicláveis Aline Sousa, de 33 anos, teve uma infância sofrida no Distrito Federal.

Filha e neta de catadoras e mãe de sete filhos, ela já morou numa ocupação irregular, feita de lona, e teve sua casa derrubada.

"Já morei durante dez anos em ocupação irregular. O nosso barraco era de lona e quando ocorriam as derrubadas, eles derrubavam tudo, não deixavam a gente retirar nada das lonas. E meus livros ficavam todos dentro de uma caixa de papelão nesses barracos. Quando eu fui para a escola e voltei, todos os meus livros estavam enterrados nos entulhos, porque tinha acabado de ocorrer a derrubada. Esse foi um dos piores momentos que eu passei na minha vida", disse ela, em um vídeo publicado nas redes sociais.

"Isso nunca saiu da minha cabeça. Porque ali, foi um sentimento que eu quanto adolescente eu tive que tinham matado os meus estudos, a minha educação. E hoje eu estudando graduação no curso de Direito, é uma forma de voltar a esperança que eu tinha perdido quando adolescente", completou.

Aline foi eleita em 2012 diretora secretária da Rede CENTCOOP-DF, o Centro das Coperativas de Trabalho de Catadores de Materias Recicláveis do DF. Três anos depois, se tornou a primeira presidente da Rede. Hoje, ela está no seu terceiro mandato.

Ela ingressou no Movimento Nacional de Catadoras como articuladora nacional em 2013 representando os catadores e catadoras do Distrito Federal. Atualmente, é responsável pela Secretaria Nacional da Mulher e Juventude da Unicatadores. Ela é beneficiária do programa Minha Casa Minha Vida desde 2009.