Catalunha retoma medidas para conter aumento de casos de covid-19

·3 minuto de leitura
O governo da Catalunha pretende retomar algumas restrições para frear a propagação da covid-19, que afeta especialmente os jovens no momento

O governo da Catalunha decidiu, nesta terça-feira (6), recuar e fechar durante o fim de semana as atividades de lazer noturno que não acontecem ao ar livre, com o objetivo de frear a propagação "exponencial" da covid nesta região do nordeste da Espanha, que registra uma alta de contágios especialmente entre jovens.

"Temos que fechar o lazer noturno que não acontece em espaços abertos e também impor restrições aos eventos ao ar livre que reúnem muitas pessoas", anunciou a porta-voz do governo regional, Patricia Plaja, que chamou a situação epidemiológica na Catalunha de "extremamente complicada".

A partir do fim de semana, os locais de lazer noturno da região de forte atividade turística não poderão utilizar seus espaços fechados. Além disso, para participar em eventos ao ar livre com mais de 500 pessoas será necessário fazer um teste de antígenos, apresentar um exame PCR negativo com vigência de mais de 12 horas ou comprovar a vacinação completa.

A resolução que está sendo finalizada pelo governo regional - da qual faltam detalhes, segundo Plaja -, também estipulará o fechamento das atividades noturnas às 3h00.

O aumento de casos na Catalunha está afetando especialmente os mais jovens, que ainda não foram vacinados, e disparou nas semanas posteriores à celebração da festa popular de São João e da reabertura das casas noturnas na região.

"Não é que a pandemia não tenha acabado, é que está mostrando uma virulência que ainda não conhecíamos. O ritmo de transmissão é muito elevado", alertou a porta-voz após a reunião do governo catalão, um dia depois da região, que tem 7,8 milhões de habitantes, registrar mais de 6.000 contágios em apenas um dia.

Por este motivo, o Executivo independentista catalão gostaria de retomar a obrigatoriedade do uso de máscaras em áreas abertas, que o governo central do país deixou de impor em 26 de junho.

"Com os dados que conhecemos hoje, acreditamos que a máscara deve voltar a ser um elemento obrigatório na Catalunha, mas apenas o governo espanhol pode modificar seu uso", afirmou Plaja.

- "Último esforço" -

A situação sanitária na Espanha se agravou nos últimos dias com o aumento de contágios por covid-19 entre os jovens.

"Os dados não são nada bons", afirmou na segunda-feira Fernando Simón, epidemiologista-chefe do ministério da Saúde, antes de explicar que a incidência acumulada e de 204 casos por 100.000 habitantes nos últimos 14 dias, númro que dispara até os aproximadamente 600 entre os jovens.

Para eles, "pedimos, e sabemos que é difícil, um último esforço", insistiu também nesta terça-feira a porta-voz do governo nacional, Maria Jesús Montero, apelando para a "responsabilidade individual de cada um".

Diante do agravamento da situação, várias regiões planejam aumentar as restrições, apesar do bom ritmo de vacinação no país, onde 40,3% dos 47 milhões de espanhóis estão completamente imunizados.

Na semana passada, um grande surto da doença nas Baleares deixou ao menos 1.824 infectados, depois que centenas de jovens que viajaram para Mallorca para comemorar o fim do ano letivo começaram a voltar para a península. Quase 6.000 pessoas foram colocadas em quarentena em todo o país por serem contatos dos infectados.

Com cerca de 81.000 mortes e mais de 3,8 milhões de casos, a Espanha é um dos países da Europa mais abalados pela pandemia.

rs/mig/bl/fp/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos