Catar nega convite à fugitivo indiano para abertura da Copa

Catar informou a Índia que nenhum convite oficial foi dado ao fugitivo indiano e islâmico, Zakir Naik. Foto: Salih Zeki Fazlioglu/Anadolu Agency/Getty Images
Catar informou a Índia que nenhum convite oficial foi dado ao fugitivo indiano e islâmico, Zakir Naik. Foto: Salih Zeki Fazlioglu/Anadolu Agency/Getty Images

O Catar informou a Índia nesta quarta-feira (22) que nenhum convite oficial foi dado ao fugitivo indiano e islâmico, Zakir Naik para, para assistir à cerimônia de abertura da Copa do Mundo da FIFA em Doha, e afirmou que outros países estão espalhando desinformação para prejudicar os laços Índia-Catar.

Segundo relatos, o governo do Catar assegurou aos interlocutores indianos que toda a controvérsia em torno de Zakir Naik foi criada por terceiros países que querem prejudicar as relações do Catar com a Índia.

Leia também:

O comunicado formal da nação do Oriente Médio veio depois que o governo indiano disse a Doha que seria forçado a cancelar a visita do vice-presidente Jagdeep Dhankar para participar da inauguração da Copa do Mundo da FIFA se Zakir Naik fosse formalmente convidado pelo governo do Catar para assistir a cerimônia de abertura.

Naik, um televangelista, supostamente deixou a Índia em 2016 e se mudou para a Malásia, onde obteve residência permanente. A Índia enviou um pedido à Malásia para sua extradição. Ele foi banido do Reino Unido e do Canadá por seu discurso de ódio contra outras religiões. Ele está entre os 16 estudiosos islâmicos proibidos na Malásia.

Em março deste ano, o Ministério de Assuntos Internos (MHA) declarou a Fundação de Pesquisa Islâmica (IRF), fundada por Naik, uma associação ilegal e a proibiu por cinco anos.

A notificação do MHA afirmava que os discursos feitos por Naik eram questionáveis, pois ele exaltava terroristas conhecidos. A notificação acrescentava que o fundador da IRF também estava promovendo a conversão forçada de jovens ao Islã, justificando atentados suicidas e postando comentários censuráveis ​​contra hindus, deuses hindus e outras religiões.