Catar proíbe venda de cerveja em estádios da Copa do Mundo

Discussão sobre a venda de cerveja se estendeu durante toda a preparação para a Copa do Mundo. Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images
Discussão sobre a venda de cerveja se estendeu durante toda a preparação para a Copa do Mundo. Foto: Matthew Ashton - AMA/Getty Images

A cerveja está fora da Copa do Mundo. Em uma reviravolta abrupta, as autoridades do Catar decidiram que as únicas bebidas que estarão à venda para os torcedores nos estádios durante a Copa do Mundo serão não alcoólicas.

A decisão sobre as vendas de cerveja foi confirmada na manhã desta sexta-feira (18) por um dirigente da Copa do Mundo familiarizado com a mudança de planos. O responsável pediu para não ser identificado porque não estava autorizado a falar com os meios de comunicação e porque o Catar ainda preparava o seu anúncio oficial na manhã desta sexta-feira.

Leia também:

A medida é a mudança mais recente e mais dramática em um plano de álcool em evolução que há meses aumenta as tensões entre a Fifa, órgão que rege o futebol global, e o Catar, uma nação muçulmana conservadora onde a venda de álcool é rigidamente controlada.

Mas também complicará o acordo de patrocínio de US$ 75 milhões da FIFA com a Budweiser, além de enfurecer os fãs que já estão irritados com as restrições e mais uma vez deixar os organizadores lutando para se ajustar, desta vez apenas 48 horas antes do jogo de abertura do torneio.

Mas também sugeriu que a Fifa, que tem enfrentado anos de duras críticas por sua decisão de trazer seu principal campeonato para o Catar, pode não ter mais controle total das principais decisões relacionadas ao evento. O guia oficial do torcedor da organização observa que “os portadores de ingressos terão acesso aos produtos Budweiser, Budweiser Zero e Coca-Cola dentro do perímetro do estádio” por pelo menos três horas antes dos jogos e por uma hora depois.

A proibição da venda de bebidas alcoólicas para torcedores nos estádios ocorre uma semana depois de um edital anterior que determinava que dezenas de barracas de cerveja vermelha com a marca da Budweiser fossem transferidas para locais mais discretos em os oito estádios da Copa, longe de onde passaria a maior parte da torcida que assistia aos jogos.

O Catar tem lutado com o tema do álcool desde que a pequena nação do Golfo recebeu os direitos de sediar a Copa do Mundo em 2010. O álcool está disponível no país, mas as vendas são estritamente controladas; a maioria dos visitantes, mesmo antes da Copa do Mundo, só tinha permissão para comprar cerveja e outras bebidas alcoólicas em bares de hotéis de luxo e a preços extraordinariamente altos.

Representantes da Budweiser, que disseram na semana passada que ficaram surpresos com as mudanças anteriores do Catar em sua estratégia de vendas para a Copa do Mundo, ainda não se pronunciaram sobre a proibição.