Causa da morte do controverso milionário John McAfee é revelada; família contesta

·2 minuto de leitura
John McAfee (Foto: FRED DUFOUR/AFP via Getty Images)
John McAfee (Foto: FRED DUFOUR/AFP via Getty Images)
  • O empreendedor americano John McAfee foi encontrado morto em sua cela em Barcelona.

  • Ele respondia por crimes de evasão fiscal.

  • McAfee tirou sua própria vida, segundo fontes policiais.

Uma autópsia realizada no corpo do empresário americano John McAfee, criador do famoso software antivírus que levava seu nome, confirmou a hipótese de suicídio por enforcamento. As informações são do jornal El País.

Leia também:

A família do controverso milionário, conhecido por seu envolvimento com esquemas de criptomoedas, no entanto, contesta, e afirma que pedirá a realização de nova autópsia independente. A esposa dele afirma que ele estava bem no dia de sua morte.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

John McAfee tinha bilhete de suicídio na calça. O conteúdo do bilhete, no entanto, não foi revelado.

Segundo o jornal, McAfee foi encontrado morto depois de ter pedido para passar um tempo isolado, desacompanhado, como prevê a legislação espanhola como um direito do encarcerado.

A notícia da morte de McAfee veio após a decisão da Justiça espanhola de extraditar o americano de volta para os Estados Unidos, onde ele respondia por crimes contra o fisco. No seu país de origem, ele enfrentava uma possível pena de até 30 anos de prisão, caso condenado. McAfee tinha 75 anos.

McAfee foi um dos pioneiros da indústria de tecnologia dos Estados Unidos. Sua invenção mais famosa foi um software antivírus que se tornaria um dos mais populares do mundo. Com esse negócio, ele se tornou milionário.

No fim de sua carreira, no entanto, o comportamento de McAfee se tornou errático. Chegou a ser preso em um aeroporto por usar uma calcinha feminina como máscara de proteção facial. Finalmente, foi preso por autoridades espanholas por supostos crimes envolvendo manipulação relacionada ao mercado de criptomoedas e evasão fiscal.

Nos últimos meses, ele manteve uma conta atualizada no Twitter, onde escrevia sobre seu cotidiano na prisão, e demonstrava bom humor. Chegou a dizer que as autoridades acreditavam que ele possuía criptomoedas escondidas, o que ele negou: "eu gostaria de ter".

Sua última mensagem no Twitter foi no dia 18 de junho:

"Em uma democracia, o poder é dado, e não retirado. Mas ainda assim é poder", escreveu. "Amor, compaixão, cuidado não têm serventia para ele. Mas é combustível para ganância, hostilidade, ciúme... Todo poder corrompe. Cuidado com quais poderes você permite a uma democracia utilizar."

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos