Cavani e Willian destaques: veja jogadores sul-americanos em fim de contrato na Europa

O futebol mundial está parado, mas os contratos dos jogadores seguem com data para terminar. Em meio à pandemia do coronavírus, alguns jogadores sul-americanos têm vínculo válido por apenas mais três meses com seus clubes e podem ser importantes adições a times brasileiros no futuro próximo como mostra a Goal.

O alvo principal, como mostra a procura de clubes como Palmeiras, Inter e Flamengo, é o centroavante uruguaio Edinson Cavani. Atualmente no Paris Saint-Germain, onde perdeu espaço depois da contratação de Mauro Icardi, o atleta tem 33 anos e está perto do fim do seu ciclo na Europa.

Contratado para jogar no Palermo no final da década passada, teve passagens de muito destaque pelo Napoli e pelo próprio PSG. Sua ideia no meio do ano era ir ao Atlético de Madrid, mas a negociação não deu certo, mantendo os times daqui confiantes nessa possibilidade.

Outro que passa por negociações no mercado europeu é Willian. Curiosamente integrante do futebol europeu exatamente no mesmo período que Cavani, já que foi vendido pelo Corinthians ao Shakhtar em 2007, o meia já afirmou que dificilmente renovará seu contrato com o Chelsea, datado para terminar em 30 de junho.

Willian Chelsea 2019-20
Foto: Getty Images

Com história no clube do Parque São Jorge, o jogador de 32 anos é sonho de 10 a cada 10 torcedores alvinegros. Em um momento de contenção de gastos, porém, é difícil que o Timão tenha condição de oferecer mais dinheiro do que adversários como Flamengo e Palmeiras.

Outro nome com história no Brasil, mas bem mais novo, o zagueiro Jemerson, de 27 anos, também tem contrato por pouco menos de três meses com o Monaco, da França. Ele jogou apenas uma vez em 2020 e ainda espera por uma renovação, mas o cenário não parece levar a isso.

Fora desses, outros nomes de destaque são o goleiro Walter Benítez, de 27 anos, do Nice, e o zagueiro Palomino, de 30 anos, do Atalanta, ambos argentinos. Apesar de mais nova, a dupla é bem mais acessível que os famosos e pinta como possível solução para quem tem problemas no gol e na zaga.

É bom lembrar, no entanto, que a situação dos vínculos por encerrar entre jogadores e clubes não está definida: a crise pode levar à prorrogação desses contratos visando a proteção dos atletas, como vem sugerindo a FIFA nas últimas semanas.