Caxias consegue aprovação para contrair empréstimo de R$ 150 milhões, e moradores cobram obras

Cíntia Cruz
1 / 4

INFOCHPDPICT000085900740

Manilhas estão há cinco meses paradas no bairro São Bento: moradores protestam

A Câmara municipal de Duque de Caxias autorizou a prefeitura a contrair um empréstimo de R$ 150 milhões com a Caixa Econômica Federal. A proposta de financiamento para o município ainda está em processo de negociação, segundo a Caixa, mas já divide opiniões na cidade.

É que o valor está previsto para ser utilizado em obras de infraestrutura e saneamento. Mas, na cidade, moradores já sofrem há muito tempo com enchentes e falta de pavimentação. No bairro São Bento, manilhas foram deixadas pela prefeitura há cinco meses. No início, moradores pensaram que fossem ter alguma solução, mas muitas estruturas já estão até quebradas.

— Deixaram as manilhas e disseram que a obra começaria na segunda-feira seguinte, mas essa segunda nunca chega. No início deste mês, alegaram que não há dinheiro nem maquinário para começar — contou a dona de casa Laudiceia Martins, de 47 anos.

Na calçada da moradora, há mais de dez manilhas que seriam usadas na obra. Laudiceia não demonstra otimismo com a possibilidade do empréstimo milionário que a prefeitura irá contrair:

— Acho que não vão fazer essa obra. Se eles quisessem, já teriam feito. Eu fico com medo, porque as manilhas estão encostadas no meu muro, que é baixo. Um dia desses, estava na cozinha e tinha um homem em cima delas olhando aqui para dentro.

Em março do ano passado, a Câmara aprovou, por 18 votos a 8, um projeto de lei autorizando o Executivo a contratar empréstimo de R$ 100 milhões com a Caixa. No último dia 12, 24 vereadores votaram a favor da alteração da lei, aumentando o valor para R$ 150 milhões. Apenas os vereadores Wendell (PC do B) e Deise do Marcelo do Seu Dino (PTC) foram contra. Zezinho do Mineirão (PMDB) e Cowboy Beleza (PP) faltaram à sessão.

A costureira Rosa Lúcia Tavares, de 49 anos, também está pouco confiante quanto à conclusão dessa obra. Ela disse que, em abril deste ano, chegaram a fazer uma intervenção na sua rua, a Nelson Ramiro, mas de nada adiantou:

— Abriram a rua em abril e colocaram umas manilhas, mas elas não acomodam o número de casas. Acho que esse ano eles não voltam. Com as chuvas de verão, todo mundo vai ser prejudicado. O dinheiro pode até ser liberado, mas se vai chegar aqui, é outra coisa.

Enquanto aguardam as obras, moradores resolvem por conta própria a questão das enchentes no bairro. A dona de casa Ruth Pimentel Pereira, de 61 anos, construiu um pequeno muro na entrada da sua casa.

— Com 15 minutos de chuva, a rua enche. Ninguém consegue passar. Toda chuva que tem eu perco os móveis — reclamou.

A Câmara municipal de Duque de Caxias informou que os vereadores aprovaram a alteração da lei por entender “que a adesão ao programa de Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa) irá beneficiar a cidade com grandes obras”, e que “os vereadores irão se empenhar em acompanhar todo o processo de empréstimo e fiscalizar a execução da obra, que é de competência da prefeitura”.

A Prefeitura de Duque de Caxias disse que o empréstimo ainda está em análise na Caixa, e que não recebeu nada deste possível empréstimo. Em relação ao bairro São Bento, informou que vem atuando com obras de drenagem e pavimentação, dentro do programa de melhoria dos bairros, e que as obras de drenagem de águas pluviais serão retomadas nos próximos dias.

No ano passado, após a aprovação do empréstimo de R$ 100 milhões, os vereadores Claudio Thomaz (Podemos) e Marcos Tavares (PSDC) entraram com uma ação popular contra o Município e o prefeito Washington Reis para anulação de ato administrativo.