Abstencionistas franceses se mobilizam nas redes

Paris, 24 abr (EFE).- Através da hashtag #SansMoiLe7Mai, "Sem mim em 7 de maio", milhares de internautas mostram rejeição aos resultados do primeiro turno das eleições presidenciais francesas, nas quais Emmanuel Macron e Marine Le Pen foram os mais votados.

"Nesta manhã nos perguntamos se escolhemos o ódio contra os estrangeiros ou o ódio contra os pobres. Perfeito, tudo vai bem #SansMoiLe7Mai", compartilhou @FFThanaen no Twitter.

Este usuário é um dos milhares que apoiaram esse movimento que procura "que a abstenção ganhe" e que chegou a ser trending topic na França.

A participação no primeiro turno das presidenciais francesas de ontem à noite (78,23%) foi ligeiramente inferior à de 2012 (79,48%).

No segundo turno de 2012, no qual venceu o socialista François Hollande, a abstenção foi de 19,65%.

Se os 21,77% de abstenção do primeiro turno deste ano se convertesse em apoio a um candidato, teria sido o segundo mais votado, muito perto da percentagem do social-liberal Macron (23,86%) e acima da ultradireitista Le Pen (21,43%).

A decisão do candidato da França Insubmissa, o esquerdista Jean-Luc Mélenchon, de não pedir o voto para nenhum dos dois finalistas após saber o resultado, afiançou o movimento #SansMoiLe7mai.

"A propaganda de vocês anti-mélenchon impulsionou Marine ao segundo turno. Espero que estejam orgulhosos de vocês", compartilhou o usuário @JirvaCaster.

"Nem pátria, nem patrão, nem Le Pen e nem Macron", é o slogan deste movimento.

"O resultado de Macron corrobora a imaturidade política dos franceses, totalmente manipulados pelos meios", defendeu no Twitter @KCicconardi.

A menos de duas semanas do segundo turno, as sondagens apontam que o favorito para ganhar em 7 de maio é o líder do Em Movimento, mas os meios advertem sobre o impacto que poderiam ter no resultado os abstencionistas e descontentamentos. EFE