CBSk promete processo contra humoristas por piada capacitista

A Confederação Brasileira de Skate (CBSk) ameaçou processar o podcast Ticaracaticast, ancorado pelos humoristas Marcos Chiesa (Bola) e Marvio Lucio (Carioca), além de dois convidados, também humoristas, Victor Sarro e Renato Albani por piadas capacitistas feitas no episódio veiculado no último dia 30 de agosto.

Na ocasião, os humoristas fizeram piadas e riram do corpo de um atleta, federado à CBSk, que tem membros amputados, chamando Daniel Amorim Santos, o paraskatista em questão, de "travesseiro", "tortuguita", "retângulo", "folha de papel" e "bloco de cimento". Veja o vídeo abaixo:

Leia também:

Em nota de repúdio publicada em seus perfis oficiais nas redes sociais, em conjunto da Associação Brasileira de Paraskate (ABPSk), a entidade máxima do esporte nacional prometeu que irá buscar medidas judiciais caso os acusados não se pronunciem em forma de retratação.

Leia a nota completa:

"A Confederação Brasileira de Skate e a Associação Brasileira de Paraskate repudiam os comentários capacitistas proclamados no podcast Ticaracaticast, com a presença dos humoristas Marcos Chiesa, Marvio Lucio (Carioca), Victor Sarro e Renato Albani, onde uma série de apelidos pejorativos foram associados a atletas do paraskate. As duas entidades reforçam que a discriminação a pessoas por conta de suas deficiências, se comprovada, pode caracterizar crime. Se cometido em meios de comunicação, a pena pode chegar a cinco anos de reclusão, além de multa. Caso não haja uma retratação pública do podcast Ticaracaticast, a Confederação Brasileira de Skate e a Associação Brasileira de Paraskate estudarão medidas judiciais cabíveis para o caso. O paraskate tem função chave na inclusão social de pessoas com deficiência. A Confederação Brasileira de Skate e a Associação Brasileira de Paraskate estão comprometidas com essa luta e não podem aceitar que atletas e skatistas sejam desrespeitados publicamente. A pretensão do humor e da liberdade de expressão não pode jamais ser usada para gerar mais sofrimento a pessoas que diariamente lutam contra o preconceito".