CBF acerta patrocínio de R$ 300 milhões para e-sports e seleções

Acordo com banco irá permitir que CBF receba quantia durante os quatro anos de contrato.
Acordo com banco irá permitir que CBF receba quantia durante os quatro anos de contrato. Foto: (Fabio Teixeira/NurPhoto via Getty Images)

Uma parceria comercial firmada pela CBF com o Itaú Unibanco, com contrato assinado até o fim do ano de 2026, garantirá que os cofres da entidade máxima do futebol mundial recebam, até o fim do contrato, R$ 300 milhões para que sejam divididos entre as diferentes categorias de futebol e, também, dos esportes virtuais.

O vínculo entre a Confederação e o banco, que se iniciou no ano de 2008, teria seu fim em dezembro deste ano, mas a renovação, no mesmo valor do acerto anterior, é vista com bons olhos por parte da CBF, uma vez que a pandemia de Covid-19 fez com que campeonatos, amistosos e outras entregas comerciais, previstas em contrato, não fossem realizados da forma ideal, mas o banco não reduziu ou suspendeu os pagamentos.

Leia também:

O contrato firmado entre a entidade e a instituição financeira prevê que as seleções masculina e feminina de todas as categorias, desde a base até o profissional, recebam o patrocínio junto do e-Brasileirão, modalidade digital da competição.

Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, celebrou o acordo em comunicado oficial emitido: "O Itaú já é um parceiro histórico da Seleção Brasileira. A CBF está muito contente de poder estender este vínculo. Com o Itaú ao nosso lado, já conquistamos muitas coisas dentro e fora de campo. E queremos ir ainda mais longe com este novo acordo, que nos permite fortalecer cada vez mais as nossas equipes, seja de base ou principal. É um voto de confiança do Itaú nessa nova administração, na diretoria da CBF e seus colaboradores".