CBF recebe pedido de apuração de possíveis assédios de Caboclo

·1 minuto de leitura
Brazilian Football Confederation President Rogerio Caboclo, is pictured during a press conference to announce the list of players for the upcoming Brazil's Copa America 2019 football tournament at the Brazilian Football Confederation headquarters in Rio de Janeiro, Brazil on May 17, 2019. - The Copa America 2019 football tournament will be held in Brazil next June 14 to July 7. (Photo by MAURO PIMENTEL / AFP)        (Photo credit should read MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)
Rogério Cabloco durante cerimônia na CBF (MAURO PIMENTEL/AFP via Getty Images)

O Conselho de Ética da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) foi informado de mais dois possíveis casos de assédio envolvendo o presidente Rogério Caboclo, que foi suspenso no último domingo (6) para se defender de uma acusação de assédio moral e sexual, feita por uma funcionária da entidade.

>> Ouça o 'Segunda Bola', o podcast do Yahoo com Alexandre Praetzel e Jorge Nicola

A funcionária, que denunciou Caboclo na sexta (4), complementou seu relato nesta semana, de acordo com o UOL, e pediu que fossem analisados os casos de duas ex-funcionárias que tiveram contato com Caboclo e que poderiam ter passado por ocorrências semelhantes.

Leia também:

As ex-funcionárias citadas e o Caboclo foram procuradas pelo veículo, que não obteve resposta. A advogada do predidente, Fernanda Tórtima, disse que não se manifestaria porque não tinha conhecimento do assunto.

Denúncia inicial

A funcionária que fez as acusações disse que o cartola tinha comportamentos abusivos, perguntou se ela se "masturbava" e tentou forçá-la a comer um biscoito de cachorro, chamando-a de "cadela". As acusações estão registradas em um documento de 12 páginas entregado ao Conselho de Ética da confederação.

Segundo relato da funcionária, que tem oito anos de CBF, Caboclo fazia consumo de álcool durante o expediente. Ela era obrigada a esconder garrafas no banheiro para que Caboclo pudesse beber sem ser notado. Ela também recolhia as garrafas vazias. Em viagens, era orientada a pedir bebidas para ele nos hotéis, mas sempre o consumo era marcado na comanda dela.

* Com informações da agência O Globo

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos