CBF se diz decepcionada com atitude da Anvisa

·3 minuto de leitura

A CBF se manifestou, através de nota, sobre a interrupção da partida entre Brasil e Argentina pelas Eliminatórias da Copa do Mundo. Segundo o comunicado, a confederação “ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Agência Nacional da Vigilância Sanitária ocorreu” e afirmou que a "Anvisa poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos e dias anteriores ao jogo”.

A nota também nega que o presidente interino da CBF, Ednaldo Rodrigues, ou qualquer outro dirigente tenha interferido “em qualquer ponto relativo ao protocolo sanitário estabelecido pelas autoridades brasileiras para a entrada de pessoas no país”. A nota foi encerrada com a CBF dizendo que se sente decepcionada e que aguarda a decisão da Conmebol e da Fifa em relação à partida.

A partida entre Brasil e Argentina pelas eliminatórias da Copa do Mundo, disputada na tarde deste domingo na Arena Neo Química, em São Paulo, foi suspensa depois que funcionários da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) entraram no gramado para determinar a deportação de quatro jogadores argentinos que não cumpriram quarentena. Houve confusão com a chegada dos agentes federais e a seleção da Argentina deixou o campo na sequência. O time brasileiro aproveitou para fazer um treino.

Os agentes da Anvisa argumentam que quatro jogadores da Argentina não podem exercer qualquer atividade no Brasil antes de passar por uma quarentena pois estiveram, antes, no Reino Unido. Apesar da determinação da Anvisa, tornada pública no início da tarde, Emiliano Martinez, Emiliano Buendia, Giovani Lo Celso e Cristian Romero foram escalados. Só Buendia não entrou em campo. Portaria da Anvisa determina que qualquer viajante que passou pelo Reino Unido faça quarentena de 14 dias devido à pandemia de Covid-19.

— Chegamos nesse ponto porque tudo aquilo que a Anvisa orientou, desde o primeiro momento, não foi cumprido. Eles tiveram orientação para permanecer isolados para aguardar a deportação. Mas não foi cumprido. Eles se deslocam até o estádio, entraram em campo, há uma sequência de descumprimentos — disse o diretor-presidente da Anvisa, Antonio Barra Torres, em entrevista à TV Globo, lembrando que, antes, eles haviam prestado informação falsa no aeroporto.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) lamenta profundamente os fatos ocorridos e que acabaram por provocar a suspensão da partida entre Brasil e Argentina, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA Catar 2022.

A CBF defende a implementação dos mais rigorosos protocolos sanitários e os cumpre na sua integralidade. Porém ressalta que ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Agência Nacional da Vigilância Sanitária ocorreu, com a partida já tendo sido iniciada, visto que a Anvisa poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos e dias anteriores ao jogo.

A CBF destaca ainda que em nenhum momento, por meio do Presidente interino, Ednaldo Rodrigues, ou de seus dirigentes, interferiu em qualquer ponto relativo ao protocolo sanitário estabelecido pelas autoridades brasileiras para a entrada de pessoas no país. O papel da CBF foi sempre na tentativa de promover o entendimento entre as entidades envolvidas para que os protocolos sanitários pudessem ser cumpridos a contento e o jogo fosse realizado.

A CBF reitera sua decepção com os acontecimentos e aguarda a decisão da CONMEBOL e da FIFA em relação à partida.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos