Ceará foi o estado em que Bolsonaro mais cresceu em votos desde o 1º turno

Em números, Bolsonaro conseguiu, no 1º turno, 1,37 milhões de votos no Ceará. No último domingo (30), esse número foi para 1,63 milhões, um aumento de mais de 256 mil votos. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Em números, Bolsonaro conseguiu, no 1º turno, 1,37 milhões de votos no Ceará. No último domingo (30), esse número foi para 1,63 milhões, um aumento de mais de 256 mil votos. (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)

A votação do presidente Jair Bolsonaro (PL) no pequeno estado do Ceará cresceu 18,6% entre o primeiro e o segundo turno das eleições de 2022. Apesar de ter sido derrotado no estado, foi lá que o mandatário mais proporcionalmente ganhou votos entre os entes federativos do País.

Em números, o chefe do Executivo conseguiu, no 1º turno, 1.377.827 votos de cearenses. No último domingo (30), esse número foi para 1.634.477, um incremento de 256.650 votos.

No fim das contas, Bolsonaro perdeu com 30,03%, ante 69,97% de Lula (PT), no segundo turno. Contudo, na primeira etapa, o então candidato do PL havia obtido 25,38%, contra 65,91% do petista.

O aumento foi maior que o do ex-presidente, agora eleito, que obteve 3.578.355

3.807.891 no segundo, o equivalente a 229.536 votos a mais.

Visitas e trabalho dos aliados

O PL de Bolsonaro elegeu os dois parlamentares mais bem votados do Ceará para a Câmara e Assembleia Legislativa: André Fernandes e Carmelo Neto, respectivamente. Somente Fernandes obteve 229.509 mil votos e esteve na busca por diminuir a diferença do aliado no território.

Além disso, o próprio Bolsonaro, além da primeira-dama, Michelle, e de apoiadores de peso no País, como o deputado eleito Nikolas Ferreira (PL-MG), a senadora eleita Damares Alves (Republicanos-DF) participaram de eventos no estado para promover o nome do atual mandatário.

O então candidato também poderá ter herdado os votos direcionados a Capitão Wagner (União Brasil) no primeiro turno. O deputado federal disputou o governo estadual e saiu em segundo lugar com 31,72% dos votos válidos. Na campanha da segunda etapa, o Capitão da PM assumiu a preferência por Bolsonaro e tentou direcionar seu capital político ao aliado.

O segundo estado que, proporcionalmente, melhorou o desempenho do presidente no País foi Minas Gerais. Lula venceu entre os mineiros, mas Bolsonaro angariou alta de 17,2% no segundo turno. Foram 5.239.264 votos na primeira etapa e 6.141.310 na segunda.

Lá, o mandatário teve apoio de Romeu Zema (Novo), governador reeleito, mas o adversário petista conseguiu aumentar vantagem com 388.389 votos a mais (5.802.571 no 1º turno e 6.190.960 no 2º).

Dessa forma, Lula perdeu votos em todo o País, caindo de uma vantagem de 6,1 sufrágios no dia 2 para 2,1 milhões no último domingo.

Bolsonaro venceu em 13 estados e no Distrito Federal. Lula ganhou em outros 13. Outro ente federativo a dar crescimento significativo ao presidente foi o Amapá. Na primeira rodada, Lula havia ganhado no Estado com 45,64%; Bolsonaro teve 43,44%. Agora, no segundo turno, o jogo virou. Bolsonaro teve 51,39% e Lula, 48,61%.

Estados onde Bolsonaro ganhou:

  1. Acre

  2. Amapá

  3. Distrito Federal

  4. Espírito Santo

  5. Goiás

  6. Mato Grosso

  7. Mato Grosso do Sul

  8. Paraná

  9. Rio de Janeiro

  10. Rio Grande do Sul

  11. Rondônia

  12. Roraima

  13. Santa Catarina

  14. São Paulo

Veja os Estados onde Lula venceu:

  1. Alagoas

  2. Amazonas

  3. Bahia

  4. Ceará

  5. Maranhão

  6. Minas Gerais

  7. Paraíba

  8. Pará

  9. Pernambuco

  10. Piauí

  11. Rio Grande do Norte

  12. Sergipe

  13. Tocantins