Ceará: Lula vence no estado, mas Bolsonaro alavanca jovens mais votados

'Pupilos de Bolsonaro': André Fernandes (à esq.) foi o deputado federal mais votado no Ceará, enquanto Carmelo Neto (à dir.) foi o parlamentar estadual com mais votos. (Foto: Reprodução/Instagram)
'Pupilos de Bolsonaro': André Fernandes (à esq.) foi o deputado federal mais votado no Ceará, enquanto Carmelo Neto (à dir.) foi o parlamentar estadual com mais votos. (Foto: Reprodução/Instagram)

O deputado estadual cearense André Fernandes (PL) foi o mais votado para uma das vagas na Câmara Federal para o Ceará. Ao todo, o parlamentar de 24 anos de idade obteve 228,4 mil sufrágios. Além dele, o vereador Carmelo Neto (PL), de 21 anos, obteve maior quantidade de votos para a Assembleia Legislativa do estado:118,3 mil. Os dois jovens são aliados do presidente Jair Bolsonaro (PL), candidato à reeleição, e fazem coro à campanha do atual mandatário que segue para o segundo turno.

Ao todo, o presidente da República levou cinco cadeiras federais e quatro estaduais pelo Ceará.

Em 2018, Fernandes foi eleito na onda bolsonarista. Ele ganhou projeção ao usar as redes sociais para publicar críticas aos atuais governantes e apoiar Bolsonaro.

No mesmo estilo, o conservador Carmelo Neto tinha 19 anos quando foi eleito o vereador mais jovem de Fortaleza, em 2020, apoiando o presidente e participando da organização de manifestações em favor do mandatário.

Ao todo, PL elegeu cinco dos 22 nomes para a Câmara pelo estado nordestino, além de outros três para a Assembleia cearense, que tem 46 vagas.

A vitória é expressiva principalmente se levado em conta que o estado elegeu, de virada, o deputado estadual petista Elmano de Freitas (PT) para o governo. O candidato iniciou a campanha como terceiro colocado e o crescimento dele só foi apontado nas duas últimas semanas anteriores ao primeiro turno.

Havia expectativa de que Elmano chegasse a segunda etapa da eleição contra Capitão Wagner (União Brasil), apoiado pelo atual chefe do Executivo, que iniciou a corrida eleitoral como franco favorito. Contudo, o petista angariou 53,9% dos votos válidos, contra 31,75% do candidato do União Brasil.

Após a derrota nas urnas, Capitão Wagner respondeu à imprensa que considera pedir votos para Bolsonaro no segundo turno, tendo em vista a coligação entre o União Brasil e o PL na candidatura dele.