Cedade realiza operação no Rio Guandu para reduzir ocorrência de geosmina

·1 minuto de leitura

A Cedae informou que vai realizar, na noite deste sábado, uma operação nas comportas do Rio Guandu para evitar o aumento do número de algas e, consequentemente, reduzir a possibilidade de ocorrência de geosmina no local. A companhia explicou que vai adotar o protocolo operacional do plano de contingência, manobrando as barragens da captação e interrompendo as atividades da ETA Guandu entre 18h e 19h, até as 5h da manhã deste domingo (07/02), de maneira preventiva.

De acordo com a concessionária, a ação consiste na abertura das comportas, impedindo a entrada de água na ETA, para o escoamento com maior volume e velocidade, renovando parcialmente a água da lagoa. A previsão é de que imóveis com sistema interno de reserva (cisterna e/ou caixa d’água) não devem sofrer desabastecimento. Em áreas de ponta do sistema e em cotas elevadas o abastecimento pode levar até 48h para ser normalizado.

"A Cedae montou esquema especial para atender hospitais e outros serviços essenciais com carros-pipa, caso haja necessidade. Embora as concentrações de geosmina/Mib na água tratada estejam baixas, a quantidade de algas na lagoa próxima à estação de tratamento vem crescendo nos últimos dias.Três fatores levam à proliferação de algas nos mananciais: água parada, presença de nutrientes e luz solar. O fenômeno ocorre com maior frequência no verão, exigindo medidas preventivas para manutenção da qualidade da água que sai das estações de tratamento", diz a nota da companhia, que pede para clientes que possuam sistemas de reserva usarem água de forma equilibrada e que adiem tarefas não essenciais que exijam grande consumo de água.