Cedo ou tarde você vai cometer alguma gafe com pessoas com deficiência

·3 min de leitura
Fernanda Gentil estende a mao para cumprimentar entrevistado com deficiencia visual
Fernanda Gentil, apresentadora do SporTV, estendeu o braço para um homem cego durante transmissão e ficou constrangida com a gafe (Foto: Reprodução)

Não tem para onde correr: vai chegar o momento em que você com certeza vai se ver em uma situação daquelas embaraçosas, de querer se esconder em algum buraco. Cometer gafes com pessoas com deficiência faz parte do processo de inclusão e pode acontecer por vários motivos, como falta de familiaridade com o tema ou até desatenção, mesmo.

Aqui não estou falando de comentários discriminatórios e propositais. Trata-se de situações cotidianas que acontecem com pessoas com deficiência e que podem ter um caráter cômico. Claro que essa definição vai depender do contexto, mas vou citar algumas situações.

Leia também

E quer saber de uma verdade? Todos nós estamos sujeitos a cometer essas gafes. Eu, por exemplo, não estou imune. Já me vi em situações bem cômicas, como mandar um áudio para uma pessoa surda. E isso já aconteceu algumas vezes, inclusive recentemente. Rimos bastante.

Os relatos ao meu comentário foram hilários: teve gente que perguntou para o professor com deficiência auditiva se ele tinha fone com microfone, outra perguntou para uma menina cega se ela queria que apagasse a luz para dormir. Comigo já aconteceu várias vezes de algum amigo querer me mostrar algum vídeo ou uma foto ou apontar com o dedo para me indicar uma direção.

Mas o que mais acontece é exatamente a cena na foto que abre essa coluna: estenderem a mão para mim e eu não saber do movimento e não retribuir. Aconteceu isso com a jornalista Fernanda Gentil, na copa do mundo de 2010, ao apresentar um entrevistado que coordenava um projeto para levar pessoas cegas ao estádio.

A gente te entende, Fernanda. Anos depois, no programa Altas Horas, ela relembrou com bom humor o episódio.

É possível prestar mais atenção em situações como essas. Mas, mesmo assim, você precisa saber que não é garantia de que você não vai cometer nenhuma gafe. Quando acontece com pessoas mais próximas eu me divirto.

Quando é alguém que não está no meu cotidiano eu faço o que for necessário para explicar de forma didática que erros acontecem. Cada pessoa com deficiência pode reagir de uma forma, a depender do contexto. Como dizemos regularmente aqui, somos únicos, com experiências distintas de vida.

Se acontecer com você, tente tirar algo positivo da situação. Caso a gafe realmente tenha ofendido alguém, peça desculpas. Do contrário, tome a liberdade também de rir da situação e aprender com o episódio. No final das contas, segue o baile. Ou, como eu gosto de dizer: SEGUE O BRAILLE!

Descrição da imagem: Fernanda Gentil, apresentadora do SporTV, é uma mulher branca com cabelo loiro, na altura dos ombros. Ela está com uma blusa vermelha. Fernanda está com o braço esticado para tentar dar a mão ao convidado, que está com as mãos no colo. O convidado é um homem com deficiência visual. Ele está sentado em uma cadeira, usa calça preta, camisa xadrez nas cores azul, preto e branco, e tem cabelos ralos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos