De 'ceifadora' a 'coach do RH': após saída de Regina Duarte e Moro, interferência de Zambelli vira piada nas redes

Deputada Carla Zambelli (PSL-SP)

Regina Duarte anunciou nesta quarta-feira que deixou o cargo de Secretária da Cultura por meio de um vídeo gravado ao lado do presidente Jair Bolsonaro em frente ao Palácio da Alvorada. A atriz foi ao local acompanhada da deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) que é sua amiga, e que segundo publicado pela colunista do GLOBO Bela Megale, foi conselheira de Regina no cargo. A deputada também era próxima do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, e tentou evitar a saída dele da Pasta, que ocorreu em 24 de abril. A interferência de Zambelli em ambos os casos acabou virando piada nas redes sociais. Há quem diga que a deputada "faz parte do departamento de RH da presidência" e que seus conselhos têm efeito contrário.

"Carla Zambelli  está por perto de todo e qualquer membro que deixa o governo", escreveu uma internauta no Twitter.

"Carla Zambelli, coach oficial do setor de RH do governo Bolsonaro, acabou de acompanhar Regina Duarte ao Planalto, pra ser demitida da Secretaria de Cultura", apontou outra internauta.

"Zambelli está sendo a ceifadora de ministros. Primeiro o Moro e agora a Regina. Quem será o próximo? Fiquem longe dela Ministros kkkk", brincou uma mulher no Twitter.

Segundo pessoas próximas à Regina, Foi a deputada quem apresentou a atriz a Bolsonaro durante a transição presidencial. As duas são amigas há cerca de dois anos. Elas se conheceram em 2018, em um evento com o ex-comandante do Exército general Villas Boas, durante o anúncio da criação de um colégio militar em São Paulo. Regina também marcou presença no casamento da deputada, em fevereiro deste ano.

Mensagem de WhatsApp divulgadas por Sérgio Moro e pela própria Zambelli mostram que a parlamentar fez várias investidas para evitar a saída do então ministro. A deputada disse em uma delas que Bolsonaro iria "cair se o sr. sair". Além disso, para aproximar Moro do presidente, ela pediu um encontro do então ministro com a advogada de Bolsonaro e mencionou posteriormente que, caso se acertassem, Bolsonaro garantiria a Moro uma vaga de ministro do Supremo Tribunal Federal. Duas horas antes de Moro fazer uma coletiva de imprensa anunciando a demissão do governo, Zambelli afirma em mensagem enviada à ele que estava no Ministério da Justiça porque “o Planalto pediu” e queria encontrá-lo.

Regina Duarte vai assumir a Cinemateca de São Paulo. O nome de quem irá para a Secretaria da Cultura não foi divulgado pelo presidente, mas o também ator Mario Frias, que almoçou na sexta-feira com Bolsonaro no Palácio do Planalto, é cotado para assumir o cargo.