Celular e redes sociais podem atrapalhar trabalhadores temporários que querem ser efetivados; Veja 10 dicas

·3 min de leitura

Começou a contagem regressiva para o término dos contratos de trabalho firmados no período de Natal. Muitos trabalhadores temporários sonham em permanecer na empresa ao final da experiência. Mas o que fazer para que o desejo se torne realidade e o trabalhador sazonal vire efetivo? Para ajudar o leitor a aumentar as chances de contratação efetiva, o EXTRA ouviu especialistas e preparou dez dicas para os trabalhadores. Um dos principais erros é passar muito tempo olhando para celular e navegando em redes sociais, como Facebook, Instagram e conversando no WhatsApp(veja a lista completa abaixo):

O primeiro passo, segundo Paulo Saphi, especialista em carreira e empreendedorismo, é avaliar a jornada de trabalho de forma geral.

— Faça as seguintes perguntas: você fez o seu melhor? Desempenhou bem o papel esperado pela empresa? Em seguida, pergunte aos seus gestores, equipe e colegas o que acharam do seu trabalho, o que precisa melhorar e o que pode continuar sendo feito. Isso vai ter dar um panorama se há chances de ficar na empresa ou não — detalha.

Saphi aponta, ainda, que o candidato deve saber o posicionamento da empresa para os próximos meses e, assim, tentar ser um dos escolhidos na hora da contratação.

— Tente saber quantos funcionários a empresa pretende manter após o término dos contratos, o que ela quer deles, qual seu plano de desenvolvimento e se há alguma habilidade específica exigida. Analisar as possibilidades que serão oferecidas é importante para se ter proatividade e se colocar a disposição para continuar crescendo e evoluindo com a empresa — pontua.

Se comportar como se estivesse em uma vaga fixa, fazendo o trabalho da melhor forma, também é um ponto positivo para permanecer na empresa. Isso é o que aponta a especialista em RH e Linkedin, Andréa Greco.

— Tratando o temporário como efetivo, você demonstra ao gestor que realmente está interessado. É importante obedecer às regras da organização. Não faça várias coisas ao mesmo tempo para mostrar competência, isso pode atrapalhar a produtividade.

Para Andréa, as empresas buscam profissionais com bom humor, compromisso, colaborativos, flexíveis, dedicados, com iniciativa, ética, postura e que saibam lidar com críticas.

Muitas pessoas não sabem, mas algumas características podem ajudar na hora da escolha de quem efetivar ao fim do contrato. De acordo com Saphi, as empresas buscam pessoas comprometidas, que têm uma visão de longo prazo e de crescimento dentro da empresa. O especialista destaca outros pontos procurados na hora de “bater o martelo”.

— Pessoas disciplinadas, íntegras, proativas, que têm uma visão de futuro e estão dispostas a adquirir novas habilidades para se encaixar no contexto da contratante são boas escolhas na hora de competir com outros candidatos. Na hora em que o funcionário é escolhido, a empresa tem que exercer um papel de treinamento, de cuidado. E, para essas empresas efetivarem uma pessoa que, lá na frente, não vai dar continuidade, é muito ruim, pois se perde tempo e dinheiro. No fim, o que conta não são apenas as habilidades técnicas, mas também as emocionais e pessoas com caráter e conduta ímpares — conclui o especialista em carreira.

Já Andréa Grecco avalia que o trabalhador precisa demonstrar comprometimento e evitar distrações.

— Isso se refere aos valores de cada um dos colaboradores em uma determinada área, se comprometendo e desempenhando um bom trabalho na organização e demonstrando interesse pelas suas atividades.

Veja dicas para conquistar o emprego fixo

Não chegue ao trabalho com as roupas ou uniforme bagunçados, sujos ou amassados.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos