Censo 2020: entenda como será a visita do recenseador do IBGE a sua casa

Ana Clara Veloso
O recenseador vai usar um dispositivo móvel para lançar as informações. Um equipamento semelhante foi usado no Censo 2010

RIO - O Censo 2020 será o maior já realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no país. Para isso, de agosto a outubro, segundo a previsão inicial, os brasileiros deverão receber em suas casas a visita de recenseadores contratados pelo órgão temporariamente. A intenção é que a pesquisa consiga cobertura integral no território nacional.

Nesta quinta-feira, o IBGE abriu as inscrições de dois processos seletivos simplificados que vão contratar 180.557 recenseadores e 28.138 agentes censitários para o Censo 2020.

A maior parte das visitas às casas dos brasileiros deverá ser feita individualmente por um recenseador aprovado num processo seletivo simplificado, com seu dispositivo móvel de coleta (DMC). Eles também vão usar uniforme e crachá fornecido pelo IBGE, e terão o documento de identidade citado nesta identificação.

No entanto, será possível receber a visita de até duas pessoas, sendo uma delas um agente censitário supervisor, que poderá acompanhar o recenseador para garantir a qualidade do trabalho.

Como os recenseadores serão remunerados por produtividade e não por carga horária trabalhada, e também para aumentar as chances de encontrar as pessoas em suas casas, é provável que eles trabalhem fora do horário comercial.

O IBGE alerta, portanto, que os brasileiros poderão receber visitas dos recenseadores nas suas casas até as 21h, de segunda a sexta-feira, e também nos fins de semana, em um "horário razoável", segundo o IBGE.

O conteúdo do questionário a ser aplicado ainda não foi divulgado, mas a estimativa que a ação demore até 18 minutos em alguns domicílios, selecionados para uma pesquisa por amostra, e de 4 a 5 minutos nos lares em geral.