Centenas de manifestantes participam em marcha anti-LGBT em Istambul

Centenas de manifestantes anti-comunidade LGBT (Lésbica, Gay, Bissexual ou Transgénero) marcharam, este domingo, pelas ruas de Istambul. Foi o maior protesto do tipo registado na Turquia.

De acordo com a agência de noticias francesa AFP, o apelo à manifestação foi feito por mais de cem grupos e associações conservadoras. A maioria delas é próxima do governo do Presidente Recep Tayyip Erdoğan.

Munidos de cartazes, defenderam o fim das associações de defesa dos direitos das pessoas lésbicas, gays, bissexuais ou transgénero e a proibição das respetivas atividades.

Em reação ao protesto, a ILGA Europa, que defende os direitos da comunidade LGBT, disse que a Turquia tem de assegurar a proteção de todos os cidadãos.

Nas redes sociais, muitos internautas turcos partilharam mensagens contra o que chamaram de "marcha do ódio", em solidariedade com as pessoas LGBT.

Os organizadores da marcha dizem que recolheram 150 mil assinaturas para exigir uma nova lei contra o que apelidam de propaganda LGBT.

Na Turquia, as paradas LGBT estão interditas desde 2015.