Centenas de milhares de pessoas abandonam suas casas após fortes chuvas no sul da China

Centenas de milhares de pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas no sul da China após as chuvas mais intensas em décadas, que provocaram inundações e deslizamentos de terra, informou a imprensa estatal.

As tempestades inundaram de maneira perigosa os cursos d'água da bacia inferior do rio das Pérolas, área de grande importância econômica por sua produção industrial e centros logísticos.

A média das chuvas nas províncias de Guangzhou, Fujian e Guangxi entre o início de maio e meados de junho atingiu 621 milímetros, a maior desde 1961, informou o Centro Meteorológico Nacional.

A imprensa estatal divulgou imagens de pessoas que foram levadas para escolas transformadas em abrigos temporários e centenas de barracas instaladas em uma pista esportiva na cidade de Shaoguan (Guangzhou), que emitiu um alerta vermelho para inundações na manhã de terça-feira.

Na província de Guangxi, a lama inundou áreas urbanas e as equipes de resgate precisaram retirar alguns moradores em botes infláveis.

As autoridades de Guangzhou disseram na segunda-feira que mais de 200.000 pessoas ficaram desabrigadas e os danos foram calculados em mais de 250 milhões de dólares.

A província de Guangxi registra as piores inundações desde 2005, segundo a imprensa local.

As autoridades meteorológicas disseram na segunda-feira que 28 rios da região ultrapassaram os níveis de risco. As chuvas prosseguiam nesta terça-feira.

A província de Jiangxi também emitiu um alerta vermelho para inundações na segunda-feira.

Mais de 220.000 pessoas abandonaram suas casas em Fujian desde o início do mês por esta situação, de acordo com a agência estatal Xinhua.

No início de junho, ao menos 21 pessoas morreram vítimas das chuvas na província central de Hubei.

lxc/qan/lb/dbh/atm/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos