Centenas de mulheres assinam manifesto em defesa de jornalista atacada

FABIANA SCHIAVON
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Mais de 100 mulheres assinaram um manifesto em defesa da jornalista Tai Nalon, diretora da agência de checagem Aos Fatos. Ela foi processada pelo procurador Ailton Benedito após revelar que ele divulgou informações falsas sobre o uso da cloroquina no combate à Covid-19 nas redes sociais. Em nota, o manifesto repudia a atitude do procurador e afirma ser "inadmissível que um membro do MPF aja em desacordo com a liberdade de expressão e a liberdade de imprensa". Nalon já vinha sofrendo ataques também do blogueiro Leandro Ruschel. Benedito anunciou, na quarta-feira (11) em sua conta no Twitter, que está processando a jornalista "em consequência de violação a meus direitos fundamentais". Para as mulheres que se manifestam, com esse processo, o procurador "dissemina mentiras, propaga o ódio e estigmas de cunho machista contra uma mulher". Assinaram jornalistas de meios de comunicação de todo o país e de organizações sociais.