Centenas de pessoas vão a enterro de vítima de El Paso e emocionam viúvo

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Viúvo de uma das vítimas de um tiroteio no início do mês abriu velório ao público.

  • Cerca de 700 pessoas esperaram na fila, sob um calor de quase 38°C, para manifestar seus pêsames.

Centenas de pessoas assistiram na sexta-feira (16) ao funeral de uma mulher que mal conheciam, vítima do tiroteio em El Paso no início deste mês, depois que seu marido abriu a cerimônia para público.

SIGA O YAHOO NOTÍCIAS NO INSTAGRAM

Quando Margie Reckard, de 63 anos, morreu baleada no ataque que matou 22 pessoas em uma loja da rede Walmart na cidade fronteiriça do Texas em 3 de agosto, seu marido, Antonio Basco, pensou que teria de enterrá-la sozinho, relata a imprensa local.

O agora viúvo, de 61 anos, casado com Margie por mais de duas décadas, decidiu que "todos eram bem-vindos" à cerimônia. Seu desejo foi publicado no site da funerária.

Leia também

Antonio e Margie não tiveram filhos, mas ela, sim, de um casamento anterior. Eles também foram se despedir.

O resultado foi comovente. Antonio recebeu uma avalanche de mais de 10.000 mensagens e mais de 900 arranjos de flores, alguns de lugares tão distantes quanto a Ásia, noticiou o jornal "The New York Times".

Na sexta-feira, cerca de 700 pessoas esperaram na fila, sob um calor de quase 38°C, para manifestar seus pêsames.

Diante da inesperada resposta, o funeral, que incluia uma banda de "mariachis" e canto, precisou ser transferido para uma instalação maior.

"Isso é incrível", disse Basco, que chorava ao agradecer a cada um dos presentes, segundo um vídeo publicado on-line pela imprensa local.

"Tínhamos um vínculo que não se pode imaginar", disse Basco na quinta-feira ao jornal local "El Paso Times".

"Ela foi meu primeiro amor", contou.

Todos os dias, o viúvo tem deixado flores no memorial improvisado em homenagem às vítimas na frente da loja da Walmart, onde aconteceu a tragédia.

Alguns dos presentes viajaram de outros municípios e até estados para a cerimônia. E muitos são membros da comunidade abalada por esse ato de violência que pôs a cidade no centro da atenção nacional.

O enterro acontece hoje, no cemitério Restlawn, em El Paso.

Antes do ataque, o agressor, de 21 anos, havia publicado na Internet um manifesto supremacista branco, no qual denunciava uma "invasão hispânica" ao Texas.

El Paso está às margens do rio Grande, que marca a fronteira dos Estados Unidos com o México. Pelo menos 83% de seus 680.000 habitantes são de ascendência hispânica.

Este triste episódio aconteceu horas antes de outro ataque similar em Dayton, no estado de Ohio. Neste último, um homem atirou e matou nove pessoas, reavivando os pedidos por melhores controles sobre a venda e porte de armas nos Estados Unidos.