Centenas vão às ruas em Istambul contra resultados do referendo

Manifestantes durante protesto em Istambul em 23 de abril de 2017

Centenas de pessoas foram às ruas em Istambul, neste domingo (23), contra a vitória do "sim" no referendo de 16 de abril passada sobre a ampliação dos poderes do presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

A vitória do governo no referendo foi mais apertada do que o previsto por Erdogan, com a aprovação de 51,41% dos votos. A oposição afirma que o resultado teria sido inverso em um pleito justo.

Quase mil partidários do principal partido de oposição turco - o Partido Republicano do Povo (CHP) - protestaram contra os resultados, reunindo-se na emblemática praça Taksim.

A manifestação coincidiu com o 97º aniversário da instauração do Parlamento turco, uma data celebrada como a festa da Soberania Nacional.

Do outro lado do Bósforo, no histórico bairro de Kadikoy, outras centenas de pessoas expressavam seu repúdio aos resultados do referendo.

"Anulem o referendo!", dizia uma faixa, no meio da multidão.

"É muito importante estar aqui para defender os princípios essenciais da república", disse Bahattin Soydar, um membro do CHP, falando na praça Taksim.

O resultado das urnas foi contestado pela oposição, depois que o Alto Conselho Eleitoral decidiu, de última hora no dia votação, considerar como válidas as cédulas não marcadas com o carimbo oficial. O recurso foi rejeitado pelo órgão eleitoral na semana passada.

A oposição anunciou que levará a questão ao Conselho de Estado.

Neste domingo, o Parlamento realizou uma sessão especial, marcada por debates intensos entre o líder da bancada do CHP, Kemal Kilicdaroglu, e o primeiro-ministro Binali Yildirim.

"A História não se esquecerá jamais dos parlamentares que permitiram confiar a soberania da nação a uma única pessoa", lançou Kilicdaroglu, durante a plenária.