Central nuclear ucraniana de Zaporizhzhia restabelece conexão com a AIEA

A central nuclear de Zaporizhzhia, que fica em um território do sul da Ucrânia tomado pelas tropas russas, restabeleceu a conexão com a Agência Internacional de Energia Atômica Atómica (AIEA), anunciou a operadora ucraniana da usina, Energoatom.

A conexão foi cortada em 30 de maio, quando os russos bloquearam a operadora de telefonia móvel ucraniana Vodafone em Energodar, na área da central, com a qual o organismo da ONU tem um contrato de "transmissão de dados", afirmou a Energoatom em um comunicado.

"Graças aos esforços conjuntos da Energoatom e da Vodafone, na sexta-feira, 10 de junho, a conexão foi restabelecida entre os servidores de vigilância de questões nucleares da usina e a AIEA", acrescentou a Energoatom no texto publicado no sábado à noite no Telegram.

Desde o fim de maio, "todos os dados deste período foram armazenados em servidores seguros e foram transferidos para a AIEA de maneira imediata após o restabelecimento da conexão", acrescenta o comunicado.

A agência informou durante a semana que trabalhava ativamente para organizar uma visita a Zaporizhzhia, o que a Ucrânia não aceita enquanto a usina estiver controlada pelos russos, por considerar que isto "legitimaria" a ocupação diante da comunidade internacional.

No início de março, os soldados russos tomaram o controle da central localizada na cidade de Energodar, no sul da Ucrânia, que é separada pelo rio Dnieper da capital regional Zaporizhzhia, que permanece sob controle ucraniano.

Os confrontos nos primeiros dias do conflito provocaram temores de uma catástrofe nuclear no país, que sofreu o acidente da usina nuclear de Chernobyl em 1986.

bur-rbj/at/an/zm/fp

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos