Central de Zaporíjia "totalmente desligada"

Um arrepio atravessou a Europa depois do incêndio na central de Zaporíjia que provocou a desconexão total da rede elétrica da Ucrânia. De acordo com a declaração do operador ucraniano, o incidente é o resultado das ações dos invasores, numa alusão à Rússia. Ainda não é claro se a central foi reconetada apenas do lado russo. O incêndio aconteceu numa altura em que a Agência Internacional de Energia Atómica (AIEA) negoceia uma visita ao complexo atómico.

A Rússia culpou a Ucrânia pelo que aconteceu e pediu às Nações Unidas e à AIEA para evitarem “uma catástrofe nuclear”.

Dmitry Vyatkin, Deputado da Duma, declarou que neste momento Moscovo "não está apenas a guardar a estação e a proteger os seus próprios interesses e os interesses dos cidadãos de Donbass e Novorossiya. “Estamos agora a protegê-los a todos, toda a Europa, e poder-se-ia dizer o mundo inteiro, porque este acidente, se acontecer, irá atingir o mundo inteiro", defendeu.

Os Estados Unidos já acusaram a Rússia de "comportamento irresponsável" para uma potência nuclear e exigiram que "cessasse imediatamente" as suas operações militares na central atómica de Zaporíjia. Há várias semanas que se travam combates na vizinhança da central nuclear.