Centro de Contingência sugeriu aumento das restrições, mas governo Doria decidiu esperar

·3 minuto de leitura
João Gabbardo, during a press conference on measures to combat the Coronavirus, (COVID-19) on Thursday, November 12, 2020 at the Palácio dos Bandeirantes in Sao Paulo, Brazil. During the press conference João Doria spoke about the São Paulo F1 GP and the Usina São Paulo concession contract, in Rio Pinheiros. (Photo: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)
João Gabbardo afirmou que, por maioria, o Centro de Contingência optou pelo endurecimento das medidas de restrição. (Foto: Roberto Casimiro/Fotoarena/Sipa USA)(Sipa via AP Images)

O coordenador-executivo do Comitê de Contingência do Coronavírus em São Paulo, João Gabbardo, afirmou que o grupo enviou ao governo de João Doria (PSDB) uma série de recomendações para aumento das restrições contra a pandemia do novo coronavírus.

“Efetivamente, na terça-feira (24), houve reunião e o centro, por maioria, aprovou encaminhar ao governo do estado algumas recomendações no que diz respeito ao aumento de restrições e algumas medidas que poderiam ser tomadas”, afirmou Gabbardo.

Entretanto, ainda de acordo com ele, a decisão do governo Doria foi de esperar até segunda-feira (30) para que sejam adotadas ou anunciadas quaisquer alterações a respeito do Plano São Paulo, programa de regras para endurecimento ou flexibilização das medidas restritivas devido a Covid-19.

Leia também

“O governo recebeu essas solicitações ontem (quarta-feira) e entendeu que essas sugestões estão embutidas dentro do Plano São Paulo e no novo faseamento, que vai ocorrer nesta segunda-feira. (...) Hoje, conversamos e não temos os dados completos da semana. Vamos aguardar os dados para definir como ficarão as novas fases a partir de segunda-feira”, completou Gabbardo.

A decisão de adiar para o dia 30 de novembro — um dia após o segundo turno das eleições municipais — a revisão do Plano São Paulo foi anunciada na semana passada. No mesmo dia, o governo Doria reconheceu um aumento de 18% na média de internações de pacientes com Covid-19 no estado.

O adiamento foi justificado por uma falha no sistema que compila os dados de Covid-19 do Ministério da Saúde, ocorrida há duas semanas. Na semana passada, por conta dos problemas nos servidores do governo federal, o estado de São Paulo ficou cinco dias sem divulgar boletins com números de casos e óbitos por novo coronavírus.

SECRETÁRIO DIZ QUE DADOS NÃO INDICAM NECESSIDADE DE RESTRIÇÃO

O secretário Estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, afirmou os dados apresentados até agora não dão suporte para medidas mais restritivas.

Tanto ele quanto Doria indicaram em suas respostas que o pedido para endurecimento das medidas teria partido de integrantes do Comitê de Contingência, e não pela maioria do conselho como afirmou Gabbardo.

“Quero reforçar que o Plano São Paulo vem baseado nos índices da Saúde. Os índices que mostramos agora não significariam essa medida mais restritiva. Está no DNA (do Plano São Paulo) que, se a qualquer instante ou qualquer momento, nós sentirmos que a vida está ameaça ou no que tange a termos de assistência ou (falta de) disponibilidade de leitos, UTI e respiradores, assim o faremos. Os dados não nos respaldam e não dão suporte a fazermos medidas mais restritivas”, explicou o secretário.

Antes de Gorinchteyn, destacou uma comparação feita entre a atual semana epidemiológica — de 22 a 28 de novembro — e a semana anterior — de 15 a 21 de novembro — apontou uma queda de 11% na média diária de casos no estado, além de uma oscilação positiva de 1% nas internações por Covid.

Governo e prefeitura de São Paulo também avaliam que, até o momento, os dados apontam para uma situação estável da pandemia de Covid-19, e que as recentes altas significam um endurecimento da primeira onda que atingiu o estado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos