Centro-esquerda da Itália vê corrida eleitoral aberta após pacto com centro

Líder do PD, Enrico Letta

Por Angelo Amante

ROMA (Reuters) - O Partido Democrático (PD) da Itália formou uma aliança com um grupo menor de centro nesta terça-feira em um movimento visto como forma de alavancar as chances da centro-esquerda de impedir um triunfo da direita nas eleições do próximo mês.

A votação está marcada para 25 de setembro e as pesquisas mostram que uma aliança conservadora está a caminho da vitória, com os Irmãos da Itália, de extrema-direita, definidos como o maior partido individual. A lei eleitoral italiana favorece partidos que formam alianças amplas.

O PD, maior partido de centro-esquerda, concordou em se unir ao partido Azione em um esforço para recuperar terreno da aliança rival.

O líder do PD, Enrico Letta, disse em entrevista coletiva que a aliança tornou a eleição uma corrida aberta e que o PD estava aberto a atrair outros grupos no cenário político fragmentado da Itália.

"Acreditamos que é impensável que nosso país, depois do governo do (primeiro-ministro Mario) Draghi, seja liderado por um governo de direita", afirmou Letta.

A aliança conservadora liderada pelos Irmãos da Itália, de Giorgia Meloni, inclui a Liga, de direita, e o partido mais moderado Força Itália, do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi. Atualmente, eles têm em torno de 45%, enquanto o PD e Azione estão perto de 30% juntos.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos