Centro-esquerda impõe derrota a Orbán e é eleita em Budapeste

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O partido do primeiro-ministro húngaro, o ultraconservador Viktor Orbán, foi derrotado neste domingo (13), nas eleições municipais de Budapeste pela oposição unida em torno de um candidato de centro-esquerda, segundo resultados parciais da votação.

Apurados 81% dos votos, o opositor Gergely Karacsony vencia com 50,6% dos votos o atual prefeito e candidato à reeleição, Istvan Tarlos.

O conservador Tarlos, que governava Budapeste desde 2010, ligou para seu adversário para cumprimentá-lo, disse um de seus porta-vozes à agência AFP.

A vitória é considerada o maior feito eleitoral da oposição húngara nesta década. Para o cenário nacional, só estão previstas eleições gerais em 2022. Orbán, eleito também em 2010, tem maioria absoluta no Parlamento.

A conquista da prefeitura da capital húngara era o objetivo principal nestas eleições dos opositores de Orbán, um líder isolacionista com arroubos autoritários e cujo partido, Fidesz, domina a cena política húngara há uma década.

Prefeito de um distrito de Budapeste, Karacsony recebeu o apoio de vários partidos de esquerda, liberais e de centro. "Demos a todos uma lição sobre democracia", disse o prefeito eleito em seu discurso a seus apoiadores após ter a vitória confirmada. "Uma unidade de oposição que os eleitores há muito esperavam foi formada, e o resultado nos mostra que este é o caminho daqui para a frente."

O primeiro-ministro Orbán reconheceu a derrota em coletiva de imprensa. "Hoje, os cidadãos de Budapeste decidiram que é tempo de algo diferente. Nós aceitamos essa decisão. Nos interesses do país e dos cidadãos de Budapeste, estamos prontos a cooperar."

Segundo os resultados parciais de domingo à noite, a oposição também projetava vitória em várias cidades de grande porte, enquanto o Fidesz deveria vencer em grande quantidade de cidades pequenas e médias.