CEO da Evergrande renuncia em meio a investigação no braço imobiliário

O CEO do grupo Evergrande, Xia Haijun, foi forçado a renunciar após uma investigação interna, em meio as tentativas da gigante imobiliária em fechar um acordo de reestruturação de sua dívida, estimada em cerca de US$ 300 bilhões.

Google: Empresa demite engenheiro afastado por ter dito que inteligência artificial tinha consciência

Entrevista: 'Ter uma trans CEO é difícil? Muito, mas é possível, diz sócia-diretora da KPMG

Além dele, o diretor financeiro, Pan Darong, saiu do cargo. A Evergrande está investigando como US$ 1,99 bilhão de dólares de seus depósitos em sua unidade de serviços imobiliários foram usados como garantia para terceiros obterem empréstimos bancários, que alguns mutuários não conseguiram pagar.

As garantias prometidas ameaçavam acabar com a maior parte do caixa na unidade.

Um comunicado informou que o conselho da empresa solicitou que Xia, Pan e outro executivo renunciassem como resultado de informações sobre seu envolvimento na organização das promessas obtidas na investigação preliminar.

A Evergrande disse que seu comitê de investigação independente emitirá um relatório assim que a investigação for concluída.

Crise de dívida

A companhia, cujo fundador Hui Ka Yan deixou o cargo de presidente da unidade imobiliária onshore no ano passado, está no centro de uma crise de dívida que está se espalhando entre os promotores imobiliários da China após uma repressão regulatória ao endividamento excessivo no setor.

Auxílio Brasil: Empobrecimento e queda na renda explicam aumento na fila, dizem especialistas

O grupo mais endividado do mundo enfrenta uma longa reestruturação depois de ser rotulado como inadimplente em dezembro.

A empresa disse na sexta-feira que, como resultado das descobertas da investigação preliminar, considerará a nomeação de um consultor para conduzir uma revisão abrangente dos sistemas de controle interno e gerenciamento de risco.

Siu Shawn, diretor executivo da empresa, assumirá o cargo de CEO. Em entrevista ao 21st Century Business Herald, Siu afirmou que a companhia chegou a um consenso básico com vários credores importantes em questões como princípios e estrutura de reestruturação de dívidas.

Veja: China multa Didi, dona da 99, em US$ 1,2 bilhão e cita falha em cibersegurança

O novo CEO também ressaltou que a Evergrande procurará encontrar uma solução compatível com a lei para os problemas dos fundos apreendidos e cooperará com os reguladores de Hong Kong em inquéritos e investigações.

A crise de caixa da empresa se tornou o foco de investidores globais, preocupados que um colapso possa perturbar o sistema financeiro e frear o crescimento da segunda maior economia do mundo, que depende do mercado imobiliário para cerca de um quarto do Produto Interno Bruto (PIB).

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos