CEO da NoMoo dá a dica: invista em Beleza e Sustentabilidade

"O mercado da Beleza está em crescimento, e se a gente parar para pensar em Sustentabilidade e Moda, eles se chocam", defende Marcelo Doin, CEO da foodtech NoMoo. Para ele, existem uma série de inovações na área, como couro com abacaxi, criando couro com tecidos de cogumelo", exemplificou.

Outro mercado interessante para investimentos é o mercado pet. "Grande possibilidade de inovação e escalabilidade", defendeu Doin.

Ele avalia que a área de Alimentação e Bebidas pode ser uma armadilha. "Tem a falsa impressão de que 'comer e beber vai dar dinheiro': é uma doce ilusão", afirma.

"O mercado da Beleza está em crescimento, e se a gente parar para pensar em <a href="https://br.yahoo.com/topics/sustentabilidade-ambiental-meio-ambiente/" data-ylk="slk:Sustentabilidade" class="link ">Sustentabilidade</a> e Moda, eles se chocam". Foto: Getty Images.
"O mercado da Beleza está em crescimento, e se a gente parar para pensar em Sustentabilidade e Moda, eles se chocam". Foto: Getty Images.

A NoMoo

Dion defende que a democratização da modalidade alimentar é essencial, e exemplifica o público que não pode consumir leite de origem animal, por exemplo. "São 80 milhões de intolerantes, e não estão apenas nas classes A e B. Devemos estar preocupados com as classes C e D", argumenta o CEO.

"O leite vegetal também é agro"

Uma das iniciativas da foodtech é pressionar governos para incluir benefícios fiscais dados ao leite de origem animal para o leite vegetal. "Também é agro. Estamos falando da castanha do Brasil, do óleo de côco, e uma série de insumos nacionalizados que usamos, e feitos a base de plantas, também são agro e beneficiam o Brasil", esclarece.

A NoMoo é uma empresa Plant-Based, que produz “laticínios” e outros alimentos feitos com ingredientes 100% de origem vegetal utilizando como sua principal matéria prima a castanha de caju. Criada em 2016, ela tem capacidade de produção de 1,2 tonelada de produtos por mês.

Na cartela de produtos da empresa, os clientes encontram diversas categorias adequadas as necessidades de uma alimentação mais saudável: alimentos veganos, ricos em cálcio, proteicos, energéticos e até com colágeno. "Fazer um bom produto, todo mundo faz. Queremos gerar inclusão, então quando lançamos um produto, ele deve ser tão bom que não só uma pessoa vegana comeria", defende Doin.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos