Cerca de 200 combatentes morrem perto de Marib no Iêmen

·1 min de leitura
Deslocados iemenitas recebem produtos doados por uma organização de caridade do Kuwait nos arredores de Marib em 1º de janeiro de 2022 (AFP/Str)

Os intensos combates no Iêmen deixaram cerca de 200 combatentes das forças pró-governo e dos rebeldes huthis mortos nas últimas 24 horas perto de Marib (norte), em meio a uma batalha sangrenta, anunciaram fontes médicas e militares nesta terça-feira (4).

Recentemente os confrontos se intensificaram em vários fronts nas províncias de Chabwa e Al Bayda (centro), enquanto as forças leais, apoiadas pela aviação saudita, tentam repelir e, em alguns casos, desalojar os rebeldes, apoiados pelo Irã.

Mais de 125 membros dos huthis morreram nos bombardeios aéreos da coalizão militar liderada por Riade, assim como em confrontos com as forças pró-governo denominadas "Gigantes", informaram fontes médicas à AFP.

Fontes militares leais confirmaram este saldo. Os rebeldes huthis raramente comunicam as mortes em suas fileiras.

Os combates também deixaram 70 membros dos "Gigantes" mortos, segundo fontes médicas. Formada em 2015 por militares do antigo exército iemenita e voluntários, a força dos "Gigantes" é comandada por um salafista, Abdelrahmane Abu Zaraa.

Com base na faixa costeira do sudoeste do Iêmen e com o apoio da Arábia Saudita e dos Emirados Árabes Unidos, os "Gigantes" desempenharam no passado um papel de primeira ordem para fazer os huthis saírem da região costeira estratégica do oeste.

faw-sy/aem/Hj/mab/zm/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos