Cerca de 300 postos ficam sem vacina contra Covid na cidade de São Paulo

·4 minuto de leitura
SAO PAULO, BRAZIL - MAY 20: A person checks in to be vaccinated at a COVID-19 vaccination post inside the Republica subway station on May 20, 2021 in Sao Paulo, Brazil. Vaccinations for eligible people are available in a number of public transportation stations in the city. Health experts are warning that Brazil should brace for a new surge of COVID-19 amid a slow vaccine rollout and relaxed restrictions. The state of Sao Paulo has registered more than 3 million cases of COVID-19 and more than 100,000 deaths. More than 440,000 people have died in Brazil by COVID-19, second only to the U.S. (Photo by Mario Tama/Getty Images)
(Foto: Mario Tama/Getty Images)

Cerca de 300 postos de vacinação contra a Covid-19 estavam sem o imunizante por volta das 17h desta segunda-feira (21) na cidade de São Paulo. A prefeitura, gestão Ricardo Nunes (MDB), disse, em nota, que o problema era pontual por causa da alta demanda e que estava fazendo o remanejamento de doses. 

Nesta segunda-feira e terça (22), a cidade de São Paulo faz uma repescagem para vacinar pessoas de 50 a 59 anos, que não conseguiram se vacinar na semana passada. 

Neste horário, o site "De Olho na Fila", serviço criado pela Secretaria Municipal da Saúde para mostrar a situação das filas nos postos de saúde, apontou que 344 locais de vacinação estavam com status de "não funcionando". Apenas nos da zona oeste não havia a comunicação. Ao todo, são 520 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) na capital.

Todos os postos procurados pela reportagem afirmaram que a vacinação havia sido interrompida pela falta de doses. Vale lembrar que os megapostos de drive-thru e para pedestres, além de vacinação em farmácias, não funcionaram nesta segunda e terça, segundo a prefeitura..

Apenas na zona sul, 82 postos estavam com o alerta. Na UBS Jardim das Palmas, na Vila Andrade, por exemplo, a atendente disse que as vacinas acabaram por volta das 10h. Mesmo horário que na UBS Sacomã, segundo uma funcionária, por telefone. Na UBS Laranjeiras, em Pedreira, a informação era de que as vacinas acabaram no período da manhã. 

Na zona leste, 66 postos estavam com o alerta por volta das 14h30. A AMA/UBS Integrada Vila Antonieta afirmou que o imunizante acabou de manhã, que receberam mais doses na sequência, mas o insuficiente e logo acabou novamente. 

Leia também:

Ainda na zona leste, uma funcionária UBS Brás disse que vacinaram algumas pessoas na parte da manhã, as doses acabaram e o posto foi reabastecido, mas, segundo ela, com poucos imunizantes. No início da tarde já havia acabado de novo. 

Entre as pessoas que tentaram no Brás, está a camareira Iolanda Ferreira, 41 anos, que afirma ter comorbidade. "Vim tomar a vacina e para variar não tem. Já é a sexta vez que tento e nunca consigo. Sempre falam que as doses estão em falta", disse. "Falaram que acabou 13h e pediram para tentar vir amanhã, que talvez consiga", afirmou Iolanda. 

Na mesma UBS, a autônoma Maria Célia Nunes, 49, que recentemente terminou um tratamento contra um câncer, também não conseguiu o imunizante. "Vi na televisão que já poderia tomar e vim aqui. É a primeira vez que tento ser vacinada contra Covid e falaram que as doses acabaram. Além disso, disseram que minha dose é só sexta-feira", afirmou, sobre o calendário para a faixa entre 40 3 49 anos, cujo escalonamento por idade começa nesta quarta-feira (23). 

Na zona norte havia 50 UBSs com o alerta no serviço da prefeitura. A UBS Vila Caiúba, no Perus, por exemplo, uma atendente disse por telefone que a unidade que ficou desabastecida de manhã e ela não sabia se voltaria a vacinar nesta segunda. 

A região central chegou a apontar um desabastecimento na UBS Sé, mas logo normalizou a situação. Por outro lado, a UBS Bom Retiro apontou a falta do imunizante por volta das 14h50. 

SAO PAULO, BRAZIL - JUNE 18: A health worker prepares a CoronaVac vaccine against COVID-19 during an immunization campaign for people at José Marcílio Malta Cardoso Basic Health Unit on June 18, 2021 in Sao Paulo, Brazil. According to official figures released by the Health Minister, the death toll in Brazil is approaching half a million victims. President Jair Bolsonaro faces a probe as the country undergoes the second-deadliest COVID-19 outbreak outside of the United States. Protests are being held against the Copa America, which is being played in four Brazilian cities amid a surge in cases and deaths.  (Photo by Rodrigo Paiva/Getty Images)
(Foto: Rodrigo Paiva/Getty Images)

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde afirmou que o desabastecimento era pontual por causa da alta procura do imunizante. Além disso, a pasta disse que está fazendo o remanejamento de doses entre os postos da capital para garantir a vacinação nos territórios. 

"Com relação ao status do 'De Olho na Fila', citado pela reportagem, a pasta esclarece que são unidades que estão providenciando o remanejamento/abastecimento de doses, para garantir a vacinação nos territórios", afirmou. "Na capital, até o dia 20 de junho, já foram aplicadas 6.265.013 doses de vacina contra a Covid-19. São 4.573.688 para primeira dose e 1.691.325 para a segunda", disse, a secretaria, em nota. 

Em contato com a reportagem, o governo de São Paulo, gestão João Dória (PSDB), disse que não poderia se posicionar sobre o tema, já que sua função é de distribuir as vacinas para as cidades do estado, mas a responsabilidade de distribuição era interna. 

Questionado sobre o envido de mais doses, o governo não falou sobre uma possibilidade de enviar mais doses, já que também depende do Ministério da Saúde.

da Folhapress

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos