Cerca de 250 mil manifestantes pedem renúncia de primeiro-ministro em Praga

Protesto contra o primeiro-ministro tcheco Andrej Babis em 16 de novembro de 2019

Cerca de 250 mil tchecos, segundo dados oficiais, se manifestaram neste sábado (16) em Praga para exigir a renúncia do milionário premiê, Andrej Babis, acusado de corrupção, na véspera do 30º aniversário da Revolução de Veludo, que derrubou o comunismo na antiga Tchecoslováquia.

Os manifestantes levavam bandeiras e cartazes pedindo para Babis renunciar.

O ministro do Interior, Jan Hamacek, citado pela agência CTK, informou que eram cerca de 250 mil pessoas reunidas no parque Letna, no centro de Praga.

A manifestação ocorreu na véspera do 30º aniversário da Revolução de Veludo - quando protestos inéditos e uma greve geral deram fim a quatro décadas de totalitarismo imposto pela antiga União Soviética sobre a então Tchecoslováquia.

Um ex-comunista, o populista Babis enfrenta uma série de acusações de corrupção e uma investigação da Comissão Europeia sobre um possível conflito de interesses em torno de sua holding Agrofert, que reúne diversas atividades nas suas vastas explorações agrícolas, na imprensa e no setor químico.

O presidente nega as acusações, e seu partido segue à frente nas pesquisas, com apoio de cerca de 30% da população.

- Democracia em risco -

Os moradores de uma casa com vista para o local da manifestação abriram uma faixa em que está escrito: "A verdade e o amor devem prevalecer sobre mentiras e ódio", lema do ex-presidente tcheco Vaclav Havel.

Kristyna Kovarova, estudante de 20 anos, da cidade de Malenice, no sul do país, disse à AFP que ela "veio batalhar pela democracia".

"Acho que a democracia está em risco porque diversas pessoas tentam modificá-la e impor suas próprias regras. Isso não é justo", afirmou.

"Eu realmente não gosto das mentiras de nosso primeiro-ministro", declarou Josef Plandor, vindo de Zasova, no leste da República Tcheca.

"Seu enorme conflito de interesses, suas mentiras, suas fraudes, é demais. Não é um homem honesto", insistiu o guarda florestal de 43 anos.

De origem eslovaca o chefe de governo de 65 anos foi acusado, no ano passado, em um caso de suposta fraude com subsídios europeus no valor de 2 milhões de euros para seu complexo hoteleiro perto de Praga, mas o escritório do promotor de Praga abandonou as acusações em setembro.

Babis, a quinta maior fortuna tcheca de acordo com a Forbes, lidera o movimento populista ANO, de centro, que governa em coalizão minoritária com os social-democratas, apoiados no Parlamento pelo Partido Comunista.

O ANO venceu as eleições legislativas de 2017 prometendo combater a corrupção na República Tcheca.