Sobe para 314 o número de mortos em decorrência das chuvas em Mocoa

Bogotá, 14 abr (EFE).- O número de mortos na avalanche que devastou a cidade de Mocoa, no sudoeste da Colômbia, no último dia 1º de abril, aumentou para 321, segundo relatórios divulgados nesta sexta-feira pelas autoridades, que informaram que na noite da quinta-feira se registraram "chuvas fortes" na região.

Segundo um comunicado divulgado pela Unidade Nacional para a Gestão do Risco de Desastres (UNGRD), do total de vítimas mortais, 120 são menores de idade.

Os relatórios acrescentaram que já foram entregues às famílias 274 corpos.

Mocoa, capital do departamento de Putumayo, foi afetada pelo transbordamento dos rios Mocoa, Sangoyaco e Mulatos, que passam pela cidade e que arrasaram vários bairros em consequência das fortes chuvas que caíram um dia antes da tragédia.

A UNGRD indicou, citando dados do Posto de Comando Unificado instalado em Mocoa, que na noite da quinta-feira se registraram "chuvas fortes", o que permitiu "medir a eficácia dos equipamentos instalados" para o Sistema de Alertas Temporários.

Durante as chuvas de ontem se puseram em alerta os vigias da Defesa Civil que estiveram monitorando as bacias dos rios e os "observadores comunais" formados pela população.

O comunicado detalhou que até o momento foram fornecidos, através de carros-pipa, 18,9 milhões de litros de água em albergues, bairros e tanques de armazenamento.

As cifras oficiais dão conta de que 1.755 pessoas permanecem nos albergues e que 254 afetados foram transferidos a outras áreas do país com o apoio de Organização Internacional para Migrações.

Por sua parte, o presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, anunciou no Twitter que a ministra de Educação, Yaneth Giha, e o secretário-geral da presidência, Alfonso Prada, "viajam hoje a Mocoa para deixar tudo pronto para a volta às aulas das crianças na segunda-feira".

Além disso, o governante informou que foram assinados "1.705 contratos de arrendamento para que os afetados tenham teto o mais rápido possível" e que "foram recebidas 1.307 toneladas de assistência humanitária para Mocoa". EFE